Enapor projecta crescimento económico de 7% até ao final do ano – PCA

Cidade da Praia, 01 Set (Inforpress) – O presidente do conselho de administração (PCA) da Enapor, Irineu Camacho, disse hoje que a empresa está a trabalhar para crescer em todas as áreas do tráfego portuário visando atingir o crescimento económico de 7% até ao final do ano.

Irineu Camacho fez esta previsão durante a sua intervenção no seminário 40º aniversário da Enapor realizado esta quinta-feira, na Cidade da Praia, sob o lema “Preservar o passado, valorizar o presente e perspectivar o futuro.

De acordo com este responsável, o reconhecimento que a Enapor conquistou ao longo dos anos de uma empresa “robusta e próspera” é graças ao empenho dos seus trabalhadores, tendo salientado que no decorrer dos 40 anos, muitos progressos foram registados não obstantes os desafios existentes.

A empresa, prosseguiu, tem evoluído significativamente apostando na materialização dos diferentes objectivos com foco na satisfação dos clientes através de uma prestação e serviço de qualidade e de excelência e com criação de infraestruturas e aquisição de mais e melhores equipamentos.

O PCA da Enapor referiu que a empresa está comprometida em trabalhar e que, de acordo com os objectivos estabelecidos, a projecção é garantir o crescimento económico da mesma até ao final do ano.

“Pretendemos crescer cerca de 12% do tráfego do navio, 44% no tráfego de passageiros e 17% no tráfego de mercadorias. Todo esse crescimento irá traduzir num crescimento económico que temos projectado até final do ano que é de cerca de 7%. São números que mostram a grandeza da nossa empresa e o impacto que a mesma tem na economia do país”, afirmou.

Irineu Camacho reconheceu, entretanto, que é preciso que a empresa continue a investir na criação de infraestruturas estruturantes que contribuam no processo de desenvolvimento de Cabo Verde, lembrando que um dos grandes investimentos que a empresa tem em curso é o Terminal de Cruzeiros do Mindelo.

Outra grande obra que brevemente será inaugurada, acrescentou, é a obra de reabilitação do Porto do Maio, um investimento que, reforçou, terá impacto na economia da ilha e do país e facilitará todo o tráfego de pessoas.

Afiançou ainda que, para além das grandes obras e investimentos feitos ao longos dos anos, os portos de Cabo Verde encaram agora um novo desafio no que se refere a economia azul, pelo que sublinhou, a Enapor está a trabalhar na vertente da digitalização, descarbonização e produção de energias limpas.

“Estamos na era da digitalização e a Enapor tem feito um forte investimento nas aplicações de negócios e o objectivo desses investimentos é garantir a eficiência e a eficácia dos processos e melhorar cada vez mais os nossos serviços”, ressaltou, ajuntando que a empresa tem apostado fortemente no ‘business intelligence’ por forma a permitir que os gestores em a tomem melhores decisões em tempo real.

O PCA da Enapor salientou, por outro lado, o “forte empenho” da empresa em apostar na valorização dos seus trabalhadores, tendo neste sentido avançado que em 2023, será implementado um “grande projecto”, a Enapor Academy, que terá como principal finalidade a consolidação dos padrões de qualidade, a formação e o desenvolvimento das competências dos seus colaboradores.

Criada a 1 de Setembro de 1982, a Enapor é uma sociedade anónima de capitais públicos, detida directa e exclusivamente pelo Estado, que tem por objecto a administração, gestão e exploração económica dos Portos de Cabo Verde, terminais e zonas de jurisdição portuária.

O portfólio da empresa é constituído pelos serviços de pilotagem, reboque, amarração/desamarração, atracação/desatracação, equipamentos, tráfego de mercadorias, armazenagem, fornecimento de energia e água e ‘bunkering’.

A empresa está presente nas nove ilhas habitadas do país, unindo-as entre si e ligando-as ao mundo, através de infra-estruturas que garantem a prestação de serviços “com a qualidade e a segurança almejadas”.

CM/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos