Embaixadora diz que comunidade guineense está “bem integrada” em Cabo Verde

Cidade da Praia, 24 Set (Inforpress) – A embaixadora da Guiné-Bissau em Cabo Verde, Basiliana Tavares, considerou hoje que a comunidade guineense, a maioritária dos estrangeiros no país, “está bem integrada”, mas lamentou o facto de mais da metade encontrar-se ainda em situação irregular.

A diplomata guineense fez estas considerações à imprensa, na Cidade da Praia, no âmbito de uma “conversa aberta” sobre “A migração e o país de acolhimento: a realidade socio-económica da comunidade guineense em Cabo Verde”, para assinalar o 49º aniversário da independência da Guiné-Bissau.

“Posso dizer que eles [os guineenses] estão bem integrados, mas no horizonte do número que vive aqui, mais da metade dos imigrantes encontram-se em situação irregular, apesar da tentativa de regularização em 2011-2015 e o último, que terminou em 2022”, frisou, reconhecendo que resta ainda muito a fazer.

Segundo recordou, citando dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), a comunidade guineense constitui a maioritária dos estrangeiros que vivem em Cabo Verde, pelo que adiantou, trata-se de uma comunidade com massa laboral diversificada, com representação em todos os sectores da vida do país.

Neste sentido, Basiliana Tavares explicou que hoje a Embaixada poderia escolher um tema que falasse do desenvolvimento da Guiné-Bissau, mas não o fez, preferindo falar sobre a imigração e o país de acolhimento, tendo em conta que constataram que nem todos estão familiarizados com o ordenamento jurídico de Cabo Verde, com os seus direitos e os seus deveres.

Porque, avançou, terminou recentemente o processo de regularização e muitos tem estado a lamentar, a sentir-se inseguros de que inscreveram desde Janeiro, e houve outros que se inscreveram depois e já receberam o título de residência, e eles não.

Para a embaixadora, o que pretendem com este encontro é fazer os guineenses entender de que para regularizar-se num país de acolhimento existem normas a serem cumpridas, bem como também mostrar-lhes a importância de se inscreverem no sistema de segurança social, uma vez que muitos ainda não estão inscritos.

Para assinalar a independência da Guiné Bissau, a Embaixada em Cabo Verde depositou também hoje, uma coroa de flores no Memorial Amílcar Cabral, na Cidade da Praia.

ET/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos