Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Élida Almeida alerta jovens e adolescentes mindelenses para “atrasos advenientes” de uma gravidez na adolescência

Mindelo, 27 Set (Inforpress) – A cantora Élida Almeida esteve hoje na Escola Secundária Jorge Barbosa, no Mindelo, para chamar atenção dos jovens estudantes sobre os “atrasos” e “impedimentos” que podem surgir com uma gravidez na adolescência. 

A mini-conferência enquadra-se na campanha “Adolescência primeiro e gravidez depois”, apadrinhada pela cantora e que resulta de uma parceria entre o Instituto Cabo-verdiano de Igualdade e Equidade do Género (ICIEG), as Nações Unidas, o Ministério da Saúde e o Ministério da Educação. 

Trata-se de uma iniciativa de abrangência nacional, que visa aumentar a consciencialização social sobre a problemática da gravidez na adolescência, através de várias acções, entre as quais palestras nas escolas, que arrancaram hoje na Escola Jorge Barbosa.

Élida Almeida disse à imprensa no Mindelo, que uma das principais mensagens que tem estado a focar é o quanto uma gravidez na adolescência pode “atrasar ou impedir” os jovens de atingir certos objectivos.

“Eu passei e o vivi e sei o quanto isto me atrapalhou a atingir certos objectivos e metas que tracei”, sublinhou a mesma fonte, que disse alertar os adolescentes para não seguirem o seu exemplo de ter engravidado aos 16 anos.

A artista lembrou que a maior parte das adolescentes, quando engravidam, não têm apoios dos pais e tão pouco dos companheiros, o que, a seu ver, “obriga-as a optar por outras coisas e ficar sem tempo para os estudos”.

“Não é sempre que temos a sorte de ter pessoas à nossa volta para nos suportar”, aconselhou Élida Almeida, que disse não ter pensado duas vezes em abraçar essa “causa louvável”, com a qual se identifica. 

Por isso, ajuntou, é preciso insistir e fazer despertar os adolescentes, ainda mais com uma figura como ela, que “normalmente têm como referência”.

“A adolescência é muito boa, é uma fase maravilhosa em que fazemos novos amigos e descobrimos capacidades do nosso corpo e da nossa mente e o rumo que queremos dar à nossa vida, por isso, aproveita-a, porque, tudo tem seu tempo e gravidez tem o seu tempo certo”, advertiu.

O director da Escola Secundária Jorge Barbosa (ESJB), Arickson Delgado, admitindo que este liceu não é excepção em termos de gravidez na adolescência, ressaltou a pertinência da campanha para a resolução dessa problemática, que “passa pela educação”.

A própria ESJB tem vindo, segundo a mesma fonte, a realizar acções para o “combate” à problemática, incluindo o Gabinete de Apoio Psicológico, que presta um “apoio diferenciado” aos jovens-mães e jovens-pais.

Arickson Delgado informou ainda que a escola tem verificado casos de gravidez desde os 15 anos até aos 18 anos, chegando, nalguns anos lectivos, a 15 alunas grávidas para um total de mais de dois mil alunos.

Durante a palestra, os alunos, na maioria meninas, colocaram questões a Élida Almeida sobre os problemas que teve de enfrentar durante a sua gravidez.

Depois de São Vicente, as palestras continuam no Sal, dia 01 de Outubro, depois Cidade da Praia e nas restantes ilhas.

De acordo com os dados do Inquérito Demográfico de Saúde Reprodutiva III (IDSR), de 2018, do Instituto Nacional de Estatística (INE) indicava que 12 por cento (%) das meninas (jovens/adolescentes) de 15-19 anos de idade já tinham tido, pelo menos, um filho (nado-vivo).

LN/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos