Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Electricista Analina Varela vive o seu sonho sem imposições e indiferente a estereótipos (c/vídeo)

Cidade da Praia, 08 Mar (Inforpress) – Analina Varela é uma jovem electricista de 26 anos, que representa milhares de mulheres que hoje possam sonhar livremente e seguir seus sonhos sem limites e sem imposições, mostrando que a mulher tem capacidade de fazer qualquer trabalho.

Pelo que, conta, logo após que terminou o décimo segundo ano, já tencionava qualificar-se profissionalmente para poder encontrar um emprego, e por ter desenvolvido uma certa paixão pela electricidade, decidiu formar-se na área.

“Sempre gostei da electricidade, em casa eu sempre mexia neste tipo de coisas e quando terminei o liceu optei por fazer formação profissional na área”, enfatizou a jovem.

Com a formação concluída, prosseguiu a técnica que presta serviços à Electra, através da Eletrotel, encontrou seu primeiro estágio e posteriormente emprego na empresa que presta serviço actualmente, porém o contrato que tinha não foi renovado na altura, pelo que passou um período desempregada.

“Mas, não desisti, fiquei a correr atrás de empresas, persisti, persisti até encontrar trabalho”, ressaltou a electricista, salientando que é a única formada da família, porque, conforme disse, os irmãos desistiram dos estudos, já ela por ter sido mãe muito cedo teve que batalhar para poder sustentar as duas filhas.

Constam do leque das suas actividades, a inspecção, desmantelamento, corte, troca de contadores, ligação de energia, e nas horas vagas faz instalação com outros colegas, de modo a obter uma remuneração extra.

“No primeiro dia eu fiquei com medo, mas tudo passa”, observou a electricista, realçando que ainda há pessoas que consideram que as mulheres não podem trabalhar nestas áreas, mas a opinião dos outros não a incomoda.

Independentemente de ser uma profissão exercida maioritariamente pelos homens, Analina adiantou que desempenha a sua profissão com o sentimento de “tranquilidade”, mas ainda lida com comentários machistas.

Em relação aos riscos da profissão, Varela admite que não se sente intimidada, pois trabalha com toda a segurança.

Referindo-se aos desafios, a técnica mencionou que o único desafio que tem enfrentado está relacionado com cortes de energia em moradias cujas ligações são ilegais, nestes casos, frisou, já foram recebidos até “com ofensas”.

Para ela, trabalhar com homens é “mais favorável” do que com as mulheres, porque, conforme constatou, existe ainda a questão da competitividade, tendo revelado, também, que as suas acções são muito parecidas com as dos homens.

Segundo a técnica, quando o assunto é a igualdade de género, as mulheres já quebraram muitas barreiras, uma vez que, justificou, não se pode manter aquele pensamento de que existe trabalho de homem e trabalho de mulher.

Analina Varela disse que ambiciona fazer curso superior na área da electricidade, mas ainda se encontra sem condições financeiras para o efeito, tendo revelado, também, que ser policial é um sonho por concretizar.

Mãe solteira, a electricista tem como motivação as filhas, assim deixou palavras de conforto às mulheres, sobretudo para as mães chefes-de-família, para trabalharem, de modo a serem independentes, e poder dar uma vida melhor aos filhos.

“Porque nós mulheres somos capazes de fazer tudo, basta querer nós conseguimos, mas é preciso lutar”, finalizou.

TC/ZS

 

 

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos