Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

EHTCV quer guias turísticos “melhor preparados” para transmitirem a história da cultura cabo-verdiana

Cidade da Praia, 30 Nov (Inforpress) – A Escola de Hotelaria e Turismo de Cabo Verde (EHTCV) disponibiliza aos guias turísticos a oportunidade de “melhor conhecerem a história e identidade” do povo cabo-verdiano para que a partir dali estejam “melhor preparados” para a transmitir.

A afirmação é do administrador da EHTCV, Fernando Cruz, que falava à imprensa na abertura da primeira jornada dos recursos turísticos culturais cabo-verdianos, que decorre até quinta-feira, 03 de Dezembro, em celebração do Dia Nacional da Morna.

No âmbito do curso de reforço de capacitação de guia de turismo, sob a orientação do formador de História e Cultura Cabo-verdiana, Gil Moreira, os formandos estão a realizar um conjunto de actividades como exposições de recursos turísticos culturais e etnográfico cabo-verdiano, apresentação de uma obra de investigação cultural, exposição de trabalhos de investigação e encenação de uma peça de apanha de espírito.

Com estas actividades, segundo este responsável, estão a dar oportunidade para que os formandos possam conhecer melhor a sua própria cultura.

“Cultura é a alma do povo cabo-verdiano e aquilo que entendemos é dar-lhes oportunidade para que possam ter contacto, sobretudo, com alguns artefactos, algumas histórias, conhecer as experiências de alguns palestrantes e sensibiliza-los mais para que quando forem guiar os turistas possam dar-lhes uma informação correcta”, afirmou.

A ideia, sublinhou, é para que os guias de turistas sejam portadores de “mais conhecimento”, para poderem partilhar com os turistas, tanto nacionais como estrangeiros, tudo aquilo que é a “alma do povo cabo-verdiano”.

“A partir deste momento estão bem preparados para prestar um melhor serviço”, reforçou.

Gil Moreira, formador de História e Cultura cabo-verdianas e mentor da iniciativa, explicou à Inforpress que o objectivo desta primeira jornada é de homenagear a morna, mas também incentivar a investigação na área cultural e formar uma “boa equipa” de guias turísticos, preparada para dar a conhecer, “da melhor forma”, a cultura cabo-verdiana aos visitantes.

“O trabalho está dividido em dois blocos, o etnográfico e cultural, e o bloco artístico. Partimos dos recursos naturais e as transformações na vida social, cultural e histórico do nosso povo”, acentuou.

Durante o dia de hoje foi feita a apresentação da obra de investigação cultural, intitulada “Ritual de apanha de espírito em Santiago de Cabo Verde”, da autoria do antropólogo Arlindo Mendes.

O segundo dia do evento será preenchido com uma aula magna a ser proferida pelo ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, tendo como tema principal “As indústrias culturais e criativas: suporte para o crescimento e emprego”.

No terceiro dia, 03 de Dezembro, Dia Nacional da Morna, é convidado o presidente do Instituto de Património Cultural (IPC), Jair Fernandes, a proferir uma segunda aula magna tendo como tema “Prevenção comum dos recursos culturais e patrimoniais”.

A jornada terminará com a apresentação dos textos da morna em sessões de poesia e canto, e apresentação dos trabalhos de recolha sobre recursos materiais e imateriais em Cabo Verde.

AM/AA
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos