Efeméride: Completam-se dois anos que a Morna foi declarada Património Imaterial da Humanidade

Mindelo, 11 dez ( Inforpress) – Hoje completam-se dois anos que a Morna foi declarada  Património Imaterial da Humanidade, com a aprovação do dossiê, em Bogotá, Colômbia, durante a reunião  do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial.

De acordo com nota do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, a classificação “representa um reconhecimento do trabalho dos compositores, dos músicos e de todos que fizeram com que o género “raínha di nos terá” fosse conhecido nos maiores palcos do mundo”.

Igualmente, acrescentou, constitui um “impulsionador à nova geração a dar continuidade ao trabalho feito pelos artistas que ao longo da história vêm acompanhando a morna”.

O ministério informou ainda que o foco agora é retomar a implementação do plano de salvaguarda da morna a partir de 2022, que teve que ser interrompido devido à situação pandémica que assola o mundo, tendo sido as verbas que estavam previstas para o efeito, canalizadas para sectores prioritários.

Cabo Verde tinha formalizado a entrega do dossiê de candidatura da Morna a Património Cultural Imaterial da Humanidade a 26 de Março de 2018, sendo que para o processo de estudo foram integradas todas as ilhas.

De acordo com o dossiê da candidatura, a morna terá surgido no século XIX. Marcada pelas letras do poeta Eugénio Tavares (ilha da Brava, 1867 — 1930) e mais tarde de Francisco Xavier da Cruz ou ‘B.Léza’ (ilha de São Vicente, 1905 – 1958), a morna conheceu o seu expoente maior através da cantora César Évora (1941 – 2011), que  cantou e abriu as portas do mundo ao País.

A candidatura de Cabo Verde foi alicerçada na cultura popular que manteve a morna até aos dias de hoje, alimentada por músicos e intérpretes de todas as idades. O processo levado à Unesco conta com 77 declarações individuais de consentimento e apoio, desde instrumentistas, compositores e intérpretes de morna, até artesãos e construtores de instrumentos de corda.

O dia 11 de Dezembro de 2019 ficou marcado na história da Nação cabo-verdiana com a entrada da Morna para a lista representativa da Unesco, figurando como Património Cultural Imaterial da Humanidade.

CD/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos