ECREEE e GGCI propõem criação de novo mecanismo de financiamento de 75 milhões de dólares para as renováveis da CEDEAO

Cidade da Praia, 10 Nov (Inforpress) – O Centro para as Energias Renováveis e Eficiência Energética da CEDEAO (ECREEE) e o GGGI propõem a criação de um novo instrumento financeiro misto de 75 milhões de dólares para apoiar projectos e empresas de energias renováveis da região.

Segundo um comunicado de imprensa enviado hoje à Inforpress, esta proposta saiu da sétima edição do Fórum de Energia Sustentável da CEDEAO, que decorreu na semana passada em Abuja, Nigéria, com o tema “Alcançando as metas de energia sustentável na região da CEDEAO”: Passar da resiliência à transição”.

O fórum, de acordo com a nota, serviu como uma plataforma de discussão e apresentação de soluções para os desafios que dificultam o desenvolvimento de um mercado regional de energia sustentável, examinar as políticas necessárias para melhorar a segurança energética e alcançar o Objectivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS 7), bem como, o que é necessário para a transição para uma rota energética de baixo carbono na região.

E para fazer face aos desafios da região da CEDEAO no acesso às energias renováveis, adianta o documento, o ECREEE e o Global Green Growth Institute (GGGI) propõem a criação de um novo mecanismo de financiamento misto de 75 milhões de dólares denominado de Fundo para as Energias Renováveis da CEDEAO 2030 (EREF), com vista a apoiar projectos e empresas de pequena e média dimensão no domínio das energias renováveis e da eficiência energética (RE&EE) nas zonas rurais e peri-urbanas dos estados membros da CEDEAO.

“O EREF 2030 basear-se-á nas aprendizagens das anteriores implementações: EREF-1 lançada em 2011, EREF-2 lançada em 2014 e EREF-3 lançada em 2018. O objectivo do EREF 2030 é apoiar o desenvolvimento compatível com as condições climáticas na região da CEDEAO, através do financiamento de projectos de energias renováveis que contribuirão para a redução da pobreza e o desenvolvimento sustentável na região”, lê-se na nota.

A mesma fonte destacou ainda que o objectivo global do EREF 2030 é contribuir para o desenvolvimento sustentável nas zonas rurais e peri-urbanas da região da CEDEAO através de uma maior implantação e utilização de tecnologias e serviços fiáveis e acessíveis em matéria de energias renováveis e eficiência energética.

O comunicado explica, no entanto, que os beneficiários diretos do EREF são os promotores de projectos diretamente envolvidos na execução de projectos de energias renováveis financiados pela EREF e os beneficiários Finais são os consumidores finais de energia, particularmente nas zonas peri-urbanas e rurais, que beneficiam de serviços energéticos modernos, fiáveis e acessíveis e, finalmente, a comunidade global através da redução das emissões de GEE.

CM/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos