Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

É falso que Governo anterior transferia 300 mil contos por mês à transportadora aérea nacional – líder do PAICV

 

Cidade da Praia, 31 de Mai (Inforpress) – A líder da bancada parlamentar do PAICV (oposição), Janira Hopffer Almada afirmou hoje que é “falso” que o anterior Governo transferia, mensalmente, 300 mil contos à transportadora aérea nacional (TACV) e desafiou o ministro das Finanças a provar estas transferências.

A presidente do Partido Africana da Independência de Cabo Verde fez estas declarações durante o debate parlamentar sobre a TACV- Cabo Verde Airlines.

Segundo Janira Hopffer Almada, os 12 milhões de contos de passivos da TACV não são da “responsabilidade exclusiva” do Governo liderado pelo PAICV.

Lembrou que em 2001, o Governo do seu partido encontrou um passivo da TACV de cinco milhões de contos, tendo aumentado, durante a governação anterior, para dez milhões de contos e que o MpD, neste primeiro ano, já acrescentou mais dois milhões de contos.

Para a líder do PAICV, em relação ao dossiê TACV o executivo de Ulisses Correia e Silva “faltou à verdade” aos cabo-verdianos porque, afirma ela, o que prometeu era “reestruturar” a companhia aérea nacional e “não a sua liquidação”.

“A TACV foi sempre uma empresa, porque nasceu para resolver um problema complexo, que é de ligar as ilhas entre si e garantir o direito à normal circulação dos cabo-verdianos”, precisou, acrescentando que, apesar das dificuldades se conseguiu este feito ao longo dos quase 42 anos de independência nacional.

Fez saber que o seu partido “nada tem contra a Binter (transportadora aérea nacional)”, mas que tem a certeza de que havia outros caminhos e outras soluções que não a “destruição ou liquidação” da TACV.

“Passámos para o monopólio privado que poderá pôr em risco os interesses dos cabo-verdianos”, apontou a presidente do PAICV, para quem o mercado dos transportes em Cabo Verde se tornou “apetecível” por causa das “medidas tomadas” durante a governação do seu partido.

“Por isso é que construímos aeroportos, modernizámos os sistemas de comunicação, desenvolvemos um sistema de regulação credível, garantimos condições para certificação e montamos o sistema de segurança aeroportuária”, apontou, acrescentando ainda que foi no tempo da governação do PAICV que foi montado um sistema moderno de controlo de tráfego aéreo, além do sistema de liberalização do mercado.

Janira Hopffer Almada, disse ainda, que nessa altura foi assinado o acordo de Open Sky com vários países e se conseguiu a certificação Etops para a TACV, além da Categoria Um da Aviação Civil.

LC/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos