É bastante importante que em Cabo Verde se reflicta sobre o futuro do trabalho – representante da OIT

 

Cidade da Praia, 04 Mai (Inforpress) – A representante da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Dinastela Curado, afirmou hoje ser “bastante importante” que em Cabo Verde se reflicta sobre o futuro do trabalho.

“É importante reflectirmos sobre o futuro do trabalho, tendo em conta situações, como o problema das desigualdades, do desemprego, o crescimento da pobreza, da economia informal e o descompasso que existe entre a economia e inserção dos jovens no mercado do trabalho”, disse a representante da OIT.

Em declarações à Inforpress, à margem de um fórum promovido pela Universidade Jean Piaget de Cabo Verde sobre a inclusão, Dinastela Curado explicou que a organização que representa se associou à iniciativa daquela instituição de ensino superior por estar “completamente alinhada” com as comemorações do centenário da OIT, que é sobre o futuro do trabalho.

Na sua pespectiva, em Cabo Verde, há a necessidade de se debruçar sobre a problemática do trabalho decente.

“Esta reflexão que está sendo realizada pela Universidade Jean Piaget faz todo o sentido e está perfeitamente alinhada não com a iniciativa do centenária da OIT, mas também com os objectivos do desenvolvimento sustentável”, indicou Dianstela Curado, para quem o país tem que se preparar para o futuro.

Para a representante da OIT em Cabo Verde, é preciso que sejam envidados esforços no sentido de se precaver para que o fenómeno das mudanças climáticas “não afecte o mundo do trabalho”.

Lembrou que, recentemente, a representação da mais antiga agência das Nações Unidas promoveu, na Praia, um ateliê sobre a economia verde, que se assenta na parte económica, ambiental e social”.

“Se queremos ter um futuro promissor, temos que cuidar do ambiente”, precisou a responsável da OIT em Cabo Verde, acrescentando que, caso contrário, “tudo ficará em causa”.

O objectivo do fórum, explica o reitor da UniPiaget, Wlodzimierz Szymaniak, é o de fazer uma reflexão sobre a situação do trabalho em Cabo Verde, no contexto global.

A cerimónia de abertura esteve a cargo da ministra da Educação, da Família e Inclusão Social, Maritza Rosabal, que considerou o tema em discussão ser “muito pertinente”.

LC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos