Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Duzentos manifestantes detidos em Teerão (ACTUALIZADA)

 

Teerão, 31 dez (Inforpress) – Pelo menos 200 pessoas foram detidas na sequência de protestos no sábado contra o Governo iraniano em Teerão, informou o vice-governador da capital, Ali Asghar Nasserbakht, citado hoje pela agência ILNA.

Nasserbakht disse que a polícia deteve pessoas que planeavam realizar motins e distúrbios, bem como a destruição de instalações públicas.

O mesmo responsável, que tem a tutela da segurança em Teerão, avançou que foram detidos cerca de 40 líderes dos manifestantes.

A agência noticiosa semioficial iraniana ILNA é próxima do sector reformista no Irão.

No sábado, Teerão foi palco de uma pequena vaga de manifestações espontâneas contra o fraco desempenho da economia iraniana, com estudantes universitários e outros a entoarem cânticos contra o governo.

Os protestos seguiram-se a um comício de elementos conservadores, apoiantes da ala dura e do “status quo” clerical islâmico no país. Trata-se da maior vaga de protestos na República Islâmica do Irão desde os que se seguiram às eleições presidenciais de 2009.

Milhares de pessoas saíram às ruas em várias cidades do Irão. Na quinta-feira os protestos começaram em Mashhad, a segunda maior cidade iraniana e local sagrado para os peregrinos xiitas.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, tem feito aumentar a tensão no Irão, devido aos vários “tweets” de apoio aos manifestantes.

“O povo está finalmente a perceber a forma como o seu dinheiro e fortuna estão a ser roubados e esbanjados no terrorismo”, escreveu hoje Trump no Twitter, acrescentando que parece que os iranianos “já não vão aguentar mais”.

Os tweets de Trump, neste caso os de sábado, já mereceram uma resposta do governo de Teerão: “O povo iraniano não dá crédito aos reparos enganadores e oportunistas dos responsáveis norte-americanos ou do sr. Trump”, indicou um porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros.

Os protestos no Irão fizeram as primeiras mortes na noite de sábado para hoje, quando dois manifestantes perderam a vida no decorrer de confrontos num comício em Doroud.

A televisão estatal iraniana avançou, entretanto, que as autoridades bloquearam a aplicação Instagram e o programa de mensagens electrónicas Telegram.

A medida visa “manter a paz e a segurança dos cidadãos”, noticiou a televisão, citando uma fonte anónima.

“Com a decisão do Supremo Conselho de Segurança Nacional, a actividade do Telegram e do Instagram estão temporariamente limitadas”, disse a fonte.

Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos