Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Doação de Sangue: Governo garante mais investimentos para equipar centros de colheita e atrair mais doadores

Cidade da Praia, 14 Jun (Inforpress) – O secretário de Estado da Saúde, Evandro Monteiro, garantiu hoje mais investimentos em recursos humanos e materiais para equipar os centros de colheita de sangue, bem como em programas electrónicos para aumentar a adesão dos doadores.

O governante falava na abertura do seminário sobre “A importância da doação de sangue”, promovido pelo Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP), em parceria com o Programa Nacional de Segurança Transfusional, para assinalar o Dia Mundial do Doador de Sangue, que hoje se comemora sob o lema “Doe sangue para que o mundo continue pulsando”.

Evandro Monteiro frisou que a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que 5% da população seja doadora de sangue regular para que os estoques nos centros possam atender confortavelmente as necessidades da população.

Neste sentido, salientou que o cumprimento desta recomendação exige investimentos que o Governo está disposto a realizar.

“O Governo de Cabo Verde vai continuar a fazer investimentos em recursos humanos e materiais para equipar os centros de colheita existentes em todo Cabo Verde e vai investir em programas electrónicos para permitir que as pessoas possam, eventualmente, fazer as marcações nos horários que melhor lhes convier para permitir uma maior adesão”, explicou.

O secretário de Estado da Saúde adiantou ainda que faz parte também do programa do Governo a criação do Instituto de Sangue e da Transfusão, para que cada doente em todo o território nacional, tenha assegurado o envolvente na segurança transfusional.

Evandro Monteiro aproveitou para, em nome do executivo cabo-verdiano, agradecer “de forma muito afectiva e entusiástica” as pessoas, homens mulheres e jovens, e grupos organizados que periodicamente se deslocam aos centros de recolha de sangue para demonstrar o seu amor ao próximo.

“O acesso universal ao sangue seguro é um factor chave para um sistema de saúde resiliente que contribua para a realização da cobertura universal da saúde”, disse.

E porque nesses tempos difíceis (referência à pandemia de covid-19) pelo qual o mundo atravessa o abastecimento de sangue seguro está em risco, o governante apelou àqueles que já são doadores a continuar a doar o seu sangue e àqueles que ainda não são que experimentem praticar esse “acto de amor”. 

“As campanhas regulares de doação de sangue estão a ser adiadas e as medidas de confinamento bem como o medo de ficar infectado estão a dissuadir os doadores de se deslocarem até aos hemocentros para doação de sangue. Em Cabo Verde a situação não é diferente dos outros países. Os dados apontam para uma diminuição de mais de metade das doações, colocando em risco a vida de muitos doentes”, pontuou.

Evandro Monteiro, que é médico de profissão, explicou que as pessoas antes de serem doadoras de sangue passam por todo um procedimento rigoroso o que torna a doação de sangue segura e consequentemente sem riscos para o doador.

O governante salientou que o sangue é essencial para o tratamento e intervenções urgentes e pode ajudar pacientes em risco de vida, além de apoiar os procedimentos médicos e cirúrgicos complexos. É também vital para o tratamento de feridos durante emergência de todo o tipo e tem ainda um papel essencial nos cuidados maternos e neonatais.

“Por isso todos nós somos interpelados a trabalharmos no sentido de contribuir para salvar vidas”, realçou.

Dados estatísticos das Nações Unidas revelam que anualmente são implantadas cerca de 112 milhões e meio de litros de sangue, na sua maioria nos países ricos, enquanto que nos países pobres são recolhidas apenas 4,5 doações por cada mil habitantes.

MJB/ZS

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos