Dispersão geográfica dificulta AOC no desempenho administrativo e implementação das tradições olímpicas

 

Cidade da Praia, 28 Set (Inforpress) – A Academia Olímpica Cabo-verdiana (AOC) aponta dispersão geográfica do território como a principal dificuldade no desempenho da sua actividade administrativa e na implementação das tradições olímpicas

Essa conclusão, segundo o Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC), saiu de um encontro de trabalho que aconteceu em Lisboa, Portugal, entre a presidente da AOC Eduarda Vasconcelos e o presidente da Academia Olímpica de Portugal, Tiago Viegas.

O COC considera, que este facto é um desafio na implementação de tradições desportivas e atletas de nível internacional, onde se procura o primado dos valores olímpicos como meio formativo de uma cultura desportiva.

Nessa perspetiva, AOP demonstra a total disponibilidade para colaboração, tanto no plano bilateral como no contexto da Associação Pan-ibérica de Academias Olímpicos, junto da qual a academia cabo-verdiana pretende formalizar a adesão.

O desenvolvimento de projectos conjuntos, acrescenta a mesma fonte, poderá ser um dos meios para estreitar a ligação entre as academias olímpicas dos dois países, com a realização de sessões anuais.

O regulamento da Academia Olímpica Cabo-verdiana foi aprovado no dia 25 de Abril de 2015, durante a Assembleia-geral dos membros da organização autónoma do Comité Olímpico Cabo-verdiano.

OM/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos