Direitos de Autor: Kriol Jazz Festival vai pagar oito por cento de receitas das vendas de bilhetes à SCM

 

Cidade da Praia, 14 Abr (Inforpress) – O Kriol Jazz Festival vai pagar oito por cento de receitas das vendas dos bilhetes à Sociedade Cabo-verdiana de Música (SCM) pelos direitos autorais, distinguindo-se assim como o primeiro festival de música do país a fazer este pagamento.

A informação foi avançada hoje, na Cidade da Praia, durante uma conferência de imprensa, por Djô da Silva, director da produtora Harmonia organizadora do Kriol Jazz Festival (KJF), certame musical que já vai na sua nona edição e que terá espectáculos hoje e sábado na capital.

Segundo explicou o produtor Djô da Silva, este primeiro pagamento foi baseado nas vendas dos bilhetes da edição de 2016, em que foram vendidos cerca de 1800 bilhetes a 1500, ou seja, 2700 mil contos.

Esclareceu ainda que este pagamento ou adiantamento que a KJF está a fazer é da edição de 2017.

Tendo em conta que a SCM não tem ainda uma tabela definida, sublinhou que vão pagar direitos autorais para todas as músicas que foram usadas dentro do KJF, que este ano homenageia o violinista Humberto Bettencourt “Humbertona”.

De acordo com Djô da Silva desde o início do KJF sabiam da importância que os direitos autorais têm para os artistas, autores, e para um país.

Djô da Silva fez saber que o facto de serem o primeiro a pagar os direitos dos autores, é um acto “normal e nada de outro mundo” e é algo que faz parte do mundo musical da qual fazem parte.

“Não fizemos este pagamento mais cedo, porque não havia uma sociedade representativa e a cobrar os direitos como deve ser”, enfatizou.

Para a presidente da SCM, Solange Cesarovna, hoje é um dia de “vitória” para a SCM e para Cabo Verde com este primeiro pagamento por parte de um festival de música, “que está a cumprir com uma obrigação legal”.

Foi neste sentido que Solange Cesarovna, também cantora, aproveitou para apelar a outros festivais nacionais e que todos que de uma forma ou de outra usam a música para efeitos de comercial, a seguirem o exemplo deste certame.

Este acto que considerou de “simbólico”, no seu entender acontece numa semana da economia da cultura e do “busness” da música com o Atlantic Music Expo e o Kriol Jazz Festival, ou seja, uma semana em que se usa a obra do criador musical nacional e internacional.

No que concerne ao adiantamento, clarificou que o KJF está a pagar 08 % porque está a fazer um adiantamento, mas que depois seria 10 % das contas dos bilhetes vendidos, assim como se faz a nível internacional.

Este pagamento por parte do KJF, no entender da SCM vai reforçar o processo de candidatura da SCM à Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores (CISAC), sendo este um passo “extremamente importante” para a adesão desta entidade de gestão coletiva de direitos de autor cabo-verdiana à essa “prestigiada” confederação internacional.

FM/FP

Inforpress/Fim

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos