Directora Nacional da Educação defende reforço da literacia digital para garantir melhorias no processo de ensino-prendizagem

Cidade da Praia, 23 Abr (Inforpress) – A Directora Nacional da Educação defendeu hoje a necessidade de se reforçar a literacia digital da classe docente como novo instrumento de trabalho nas salas de aula, visando garantir melhorias no processo de ensino-aprendizagem no país.

Em declarações à Inforpress, Sofia Figueiredo apontou essa necessidade como um dos grandes desafios do Ministério da Educação e do próprio sistema educativo, mostrando-se, por outro lado, optimista de que a literacia digital irá contribuir para a elevação da qualidade do ensino em Cabo Verde.

“Estamos a falar da possibilidade dos nossos próprios docentes utilizarem eles próprios as novas tecnologias como um novo instrumento para melhoria do processo de ensino-aprendizagem, quer a nível da apresentação quer ao de acesso a plataforma educativas, que tem varias soluções interessantes e inovadoras, que podem ser partilhadas com os professores e os alunos em sala de aulas”, sugeriu.

Uma situação, prosseguiu, que poderá facilitar os professores no acesso aos manuais escolares em plataformas digitais, adiantando que relativamente à situação do atraso dos manuais escolares verificados no ano lectivo 2018/2019 “são constrangimentos advenientes de um processo de revisão curricular que se encontra em curso”.

“Estamos a cada ano lectivo a introduzir novos materiais num curto espaço de tempo. As nossas equipas estão numa produção constante quer a nível dos programas, quer a nível dos manuais, então o que nós estamos a fazer é trabalhar toda a planificação no sentido de diminuir, minimizar o máximo possível os potenciais atrasos”, asseverou, lembrando, contudo, que todo o conteúdo escolar no primeiro trimestre esteve disponível através das plataformas digitais.

Segundo adiantou, neste momento cerca de 95% dos professores têm acesso a um tablete nas escolas, principalmente nas de agrupamentos, ajuntando, que as escolas secundárias têm acesso à internet e que as bases estão criadas para se melhorar a literacia digital.

Neste sentido, fez saber que este é um projecto específico para trabalhar, sobretudo a nível da plataforma, realçando que o Ministério da Educação tem investido em várias acções de formação dos professores no que se refere ao uso das novas tecnologias.

“Os alunos utilizam essas plataformas, utilizam tecnologias quase que desde o berço. Precisamos acompanha-los para estarmos o mais próximo e trazer maior motivação, maior desafio às aulas e ao próprio processo de ensino-aprendizagem em Cabo Verde”, declarou.

CM/JMV

Inforpress/Fim.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos