Directora-geral da Unesco destaca necessidade da promoção e preservação do património audiovisual

Cidade da Praia, 27 Out (Inforpress) – A directora-geral da Unesco considerou o património audiovisual uma “fonte inestimável” de conhecimento e um testemunho em movimento da diversidade social, cultural e linguística pelo que defende a necessidade da sua preservação e promoção do acesso aos arquivos.

A directora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Audrey Azoulay, fez estas considerações na sua mensagem no âmbito da celebração do Dia Mundial do Património Audiovisual que se comemora hoje, 27, sob o lema “A sua história está em movimento”.

Segundo esta responsável, os recursos audiovisuais são parte significativa do património cultural, indicando neste sentido as imagens e sons, gravados em filme, videotape e fita sonora, trazem o passado à vida e estabelecendo em memória colectiva eventos, cenas e situações que, no seu entender, seriam esquecidas ou subsistiriam apenas como uma “forma estática e sem vida”.

“Essa memória, que permaneceu viva e é essencial para os historiadores, cientistas e cidadãos comuns que buscam o conhecimento de seu passado, não deixa de ser frágil. Ela é ameaçada pelo uso descontinuado de tecnologias e de mídia analógica e pela falta de atenção que costuma ser dadas a elas”, disse, sublinhando ainda que a mesma memória é também particularmente ameaçada em alguns contextos sócio-políticos.

De acordo com a directora, é com essa finalidade que a Unesco criou o Dia Mundial Patrimônio Audiovisual, para conscientizar o público sobre a necessidade de salvaguardar o patrimônio audiovisual, apoiar instituições encarregadas de tal patrimônio e promover maior acesso aos arquivos.

A Unesco, segundo a mesma fonte, também incentiva a digitalização de arquivos documentais e incorporou muitos recursos audiovisuais em seu Registro do Memória documentários excepcionais realizados na década de 1950 na tribo Ju’hoansi no deserto do Kalahari (Namíbia), arquivos da Conferência de Bandung de 1955 (Indonésia) e entre outros.

Audrey Azoulay defendeu, por outro lado, que esses arquivos, às vezes negligenciados ou esquecidos, são recursos que podem alimentar a memória colectiva e estabelecer vínculos entre gerações, tendo ressalvado que a herança não é um objecto inanimado mas sim, cheia de significado, significância e todas as emoções que acompanharam as vidas das gerações passadas.

O Dia Mundial do Património Audiovisual, celebrado a 27 de Outubro, foi aprovado pela Conferência Geral da UNESCO, em 2005.

A criação da data visa chamar a atenção do público para a necessidade da adoção de medidas urgentes que permitam a conservação dos arquivos audiovisuais no mundo inteiro, e da importância destes arquivos para a construção integral da identidade cultural das nações.

O Dia Mundial do Património Audiovisual visa, igualmente, atrair a atenção das pessoas para a defesa do património audiovisual, especialmente nos países em vias de desenvolvimento.

CM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos