Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Director da revista Leitura diz que a publicação já ganhou seu espaço e aponta a sustentabilidade financeira como principal desafio

Cidade da Praia, 13 Abr (Inforpress) – O director da revista cultural “Leitura”, que comemora hoje um ano de existência, considera que a publicação ganhou espaço no cenário literário cabo-verdiano, apontando que o principal objectivo é ganhar a sustentabilidade financeira.

Em conversa com a Inforpress, Mário Silva disse que a edição de livros em Cabo Verde é “financeiramente difícil”, uma vez que o mercado é pequeno e com poucas pessoas que gostam de leitura, defendendo, por isso, que o Governo tem que ter uma política de leitura “muito mais robusta”.

“A Livraria Pedro Cardoso não tem como objectivo o lucro, isso parece que não se deve dizer, os economistas não gostam que se diga isto, mas o nosso propósito é ter sustentabilidade, daí que tenhamos muito projectos em mente, mas o facto de não serem à partida sustentáveis implica ponderar várias vezes determinados projectos”, explicou o responsável.

Para Mário Silva, com a aprovação do Plano Nacional de Leitura, a Livraria Pedro Cardoso vai ter condições para avançar com “muita mais força” com novos projectos.

Por outro lado, considerou que o nível de leitura ainda é muito baixo, uma vez que, conforme constatou, ler jornais, revista e livros ainda não fazem parte dos hábitos quotidianos dos cabo-verdianos.

Por isso, adiantou a ideia de colocar a versão eletrónica à disposição dos leitores como uma estratégia, reconhecendo que é um assunto que ultrapassa a direcção da Livraria Pedro Cardoso, que é a editora da revista Leitura.

Mário Silva avançou, contudo, que a Livraria Pedro Cardoso, tem se pontificado como a “maior editora” de Cabo Verde, tendo editado, somente em 2018, 20 livros, facto que, segundo ele, é inédito na história do país.

“Editamos 20 livro, coisa que nenhuma instituição conseguiu fazer em Cabo Verde desde da independência”, conclui.

OM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos