Diagnóstico laboratorial constitui sempre um “desafio” – Coordenadora do Laboratório de Entomologia Médica (c/áudio)

Cidade da Praia, 18 Jun (Inforpress) – A coordenadora do Laboratório de Entomologia Médica e Controlo da Qualidade de Água e Alimentos disse hoje que o diagnóstico laboratorial constitui sempre um “desafio”, porque têm que estar preparados para responderem aos eventos de saúde que surgem.

“O diagnóstico laboratorial é um desafio, porque temos que estar sempre preparados e ter condições para dar respostas aos eventos de saúde que aparecem”, afirmou Silvânia Leal, indicando o exemplo do coronavírus, que, afirmou, foi um “vírus novo”.

Silvânia Leal, que falava à imprensa, à margem do IV Congresso de Controlo de Qualidade Laboratorial para os Países de Língua Oficial Portuguesa (CCQLP-CLP), reconheceu que este evento é um exemplo de que os técnicos e os laboratórios devem estar “sempre preparados para darem resposta a eventuais acontecimentos que possam aparecer no sector da saúde.

“Temos uma boa qualidade dos laboratórios, que acompanham a ciência e o desenvolvimento”, garantiu aquela responsável ao ser instada sobre a capacidade dos laboratórios nacionais, acrescentando que os técnicos estão “sempre preparados” para dar respostas a eventuais acontecimentos.

Anunciou que antes do final do ano vem uma missão do Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge, a Cabo Verde para ministrar a parte prática de uma formação que os técnicos cabo-verdianos fizeram online.

O congresso, que está a decorrer na Cidade da Praia, em formato presencial e através da plataforma digital, tem como objectivo contribuir para a harmonização de procedimentos e metodologias de controlo da qualidade na área do diagnóstico laboratorial.

O primeiro evento do género realizou-se no Brasil, seguindo-se Portugal, Moçambique e o V congresso será de novo nas terras do Vera Cruz.

Entretanto, no quadro deste IV congresso, segundo Silvânia Leal, foram realizados de Abril a início de Junho dez minicursos pré-congressos via online sobre as normas e procedimentos laboratoriais incluindo legislação, estatísticas e indicadores. Contaram com a participação de profissionais e estudantes do sector dos países da CPLP.

Perguntada sobre a hipótese de estar a circular no País a variante Delta, conhecida como sendo originária da Índia e com alto índice de transmissibilidade, a coordenadora do Laboratório de Entomologia Médica e Controlo da Qualidade de Água e Alimentos não quis pronunciar-se sobre este assunto. 

O IV Congresso termina hoje e a sessão de encerramento vai estar a cargo do ministro da Saúde, Arlindo do Rosário.

LC/DR

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos