Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Dia Mundial da Prematuridade: Cabo Verde alerta sobre problema que afecta 6,2% de bebés

Cidade da Praia, 17 Nov (Inforpress) – Cabo Verde regista uma taxa de 6,2 por cento (%) de bebés prematuros nascidos por ano, sendo que 70% das mortes atingem as crianças que nascem antes das 37 semanas de gestação.

A informação é do director do Serviço Neonatal do Hospital Universitário Agostinho Neto (HUAN), António Cruz, em declarações à imprensa quando falava dos problemas da prematuridade no dia em que se assinala o Dia Mundial da Prematuridade, uma data que visa alertar as mulheres sobre uma programação para a gravidez e os cuidados no pré-natal.

“Temos uma taxa de nascimento muito mais baixa do que é indicado pela OMS, mas a nossa taxa de prematuridade no que respeito à mortalidade nos preocupa, pois situa-se em 70%”, disse António da Cruz, que admite a necessidade de se trabalhar para baixar a taxa da mortalidade em bebés prematuros.

A data, que se assinala este ano sob o lema “Separação Zero”, isto tendo em conta os acontecimentos a nível mundial, devido à pandemia que separou os bebês dos pais, deve servir, segundo o especialista em neonatologia, para alertar sobre os cuidados a se ter com a gravidez.

“A prematuridade pode ser controlada, evitando assim o nascimento antes do tempo que é provocado pela ausência de cuidados no pré-natal, os maus hábitos, infecções e outros, que podem ocasionar o problema e a antecipação do nascimento”, disse, alertando pelas sequelas que alguns bebés podem ter devido a este problema.

Por isso, num dia como hoje, António Cruz comprometeu-se a redobrar os esforços para salvar crianças prematuras não para viverem com sequelas, mas com qualidade de vida para que possam sobreviver.

Na ocasião, o presidente do conselho de administração (PCA) do HUAN, Imadoêno Cabral, parabenizou a equipa do Serviço Neonatal pela iniciativa, e afirmou que a intenção é mostrar que a instituição é defensora dos cuidados centrados na família.

“Pretendemos ainda com isso sensibilizar a população para uma reflexão profunda sobre as questões que tem a ver com a prematuridade e busca de novas respostas para os desafios enfrentados diariamente”, disse, lembrando que a data foi marcada pela primeira vez em 2009, pela iniciativa da Fundação Europeia para o Cuidado dos Recém-nascidos.

 Posto isso, Imadoêno Cabral anunciou um investimento à volta de 20 mil contos, em 2022, nos serviços da neonatologia para compra de equipamentos e formação voltados para técnicos que compõem o serviço.

Para assinalar a data, o Serviço Neonatal do Hospital Universitário Agostinho Neto promoveu hoje um workshop com o propósito de consciencializar as pessoas sobre a problemática da prematuridade.

O dia 17 de Novembro foi escolhido como um Dia da Consciência para a Prematuridade pelo seu significado especial e emocionante para um dos fundadores da Fundação Europeia para o Cuidado do Recém-nascido (EFCNI) após a morte de seus trigêmeos prematuros, em Dezembro de 2006, e pela Organização de Caridade Americana para Prematuros e Recém-nascidos nos EUA.

O Novembro Roxo, mês da conscientização para os cuidados e prevenção da prematuridade, também alerta sobre o crescente número de partos prematuros, como preveni-los, além de informar sobre as consequências do nascimento antecipado para o bebé, sua família e para a sociedade.

No mundo, um em cada dez bebés nasce prematuro, sendo que todos os anos, cerca de 15 milhões de crianças nascem antes do tempo, ou seja, antes das 37 semanas de gravidez. Esse número continua aumentando, segundo dados mundiais, apesar da soma total de nascimentos estar diminuindo gradativamente.

PC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos