Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Dia Mundial da Energia: Mais de um terço das energias produzidas no Porto Novo provêm de fontes renováveis

*** Por Jaime  Medina, da Inforpress ***

Porto Novo, 29 Mai (Inforpress) – Porto Novo tem sido apontado pelo Governo como “um exemplo” em Cabo Verde a nível de investimentos nas energias renováveis, numa altura  que “mais de um terço” das energias produzidas neste município provêm de fontes renováveis.

Os dados avançados pelo executivo apontam que Porto Novo, que alcançou, em 2020, a taxa de 100 por cento (%) em termos de cobertura com sistemas fotovoltaicos solares para a produção de água para a agricultura, está “no bom caminho”, em termos de aposta nas energias renováveis.

“Mais de um terço das energias produzidas neste município provêm de fontes renováveis, o que significa que Porto Novo está no bom caminho”, aponta o ministério que responde pelo sector das energias.

Entretanto, esta taxa está em vias de aumentar com a conclusão, dentro de três a quatro meses, dos investimentos em curso no quadro do projecto de bombagem e adução de água para o Planalto Norte, cujas estações funcionarão como base em energia solar.

Aliás, graças à aposta nas energias renováveis tanto para a electrificação das comunidades, como na produção de água para consumo, agricultura e para a pecuária, Porto Novo está em vias de conseguir mais um feito histórico, ou seja, o concelho a ter a “primeira comunidade azul” em Cabo Verde.

Trata-se do Monte Trigo, que foi, em 2012, a primeira aldeia em Cabo Verde electrificada a 100% com energias renováveis e, segundo o ministro do Mar, Paulo Veiga, este povoado, encravado no interior do Porto Novo, caminha “a passos largos” para ser, também, a “primeira comunidade azul” do País.

A edilidade porto-novense acredita, também, que Porto Novo está a assumir-se como “um exemplo” em Cabo Verde no que toca a investimentos nas energias renováveis, graças aos vários projectos realizados, em quase  uma década, neste município.

Os investimentos já realizados no Porto Novo, nesses anos, contribuíram para a electrificação de várias comunidades rurais, para a dinamização da agricultura e pecuária, bem como para a promoção do sector pesqueiro, através da produção de gelo para a conservação do pescado.

A nível de produção de água para a agricultura e pecuária, as duas dezenas de sistemas (furo e nascentes) estão equipados com sistemas fotovoltaicos solares, assumindo-se este concelho o estatuto do “primeiro município” em Cabo Verde a ter uma taxa de 100% no que tange a equipamentos dos sistemas de produção de água com energias limpas.

Os projectos executados, até agora, no Porto Novo têm sido financiados através da União Europeia, da cooperação portuguesa, do GEF (Global Environment Facility), do Centro das Energias Renováveis e Eficiência Energética (ECREE) e ainda do Governo, através do programa de promoção de actividades socio-económicas rurais (Poser).

Em termos de perspectiva, este concelho, além do investimento de 70 mil contos no âmbito do projecto de abastecimento de água ao Planalto Norte, pode ainda, no quadro do projecto agro-industrial de Santo Antão, a cargo da empresa AquaSun Água e Energia, receber, a partir deste ano, um projecto estimado em mais de dois milhões de contos.

Trata-se de um projecto que consiste, entre outros investimentos, na montagem e operacionalização de um parque solar de 7,5 megawatts para a produção de água dessalinizada para a agricultura.

Dados avançados pelo Governo estimam que, até 2030, a ilha de Santo Antão deverá receber investimentos nas energias renováveis que ultrapassam um milhão de contos.

JM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos