Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Dia Mundial da Casa de Banho: Professores destacam o “poderoso” papel da higienização no combate à covid-19

Cidade da Praia, 18 Nov (Inforpress) – A criação das condições para a higienização nas escolas foi uma “poderosa arma” na luta contra a covid-19, consideram os professores ouvidos pela Inforpress no âmbito do Dia Mundial da Casa de Banho que hoje se assinala.

Em entrevista à Inforpress, um grupo de professoras da cidade da Praia destacou o papel que a higienização das mãos teve para o sucesso do combate à covid-19 e defendeu a necessidade de todas as escolas terem casa de banho “segura e limpa”.

A directora do polo educativo de Safende, Helena Silva, falou do papel primordial que as casas de banho ocupam nas escolas, principalmente em tempos de pandemia, onde a higienização tem sido uma arma poderosa na luta contra a covid-19.

“Em tempos de pandemia as casas de banho ocuparam um lugar de extrema importância. A nossa escola em termos de espaço é pequena, então fizemos algumas adaptações para facilitar a higienização, colocamos lavatórios com produtos de higienização em pontos estratégicos dentro do recinto escolar e na entrada,” explicou.

Helena Silva adiantou que apesar da redução dos casos de covid-19 em Cabo Verde, as casas de banho da sua escola continuam disponíveis com todos os itens necessários para que as crianças continuem o processo de higienização nas escolas.

Filomena Tavares, professora da escola primária de Ponta d’Água, escola “B”, acrescenta que é fundamental ensinar às crianças como usar as casas de banho como forma de garantir um espaço saudável e confiável para o uso diário.

“Nós passamos sempre a mensagem da importância de mantermos uma casa de banho limpa, com cheiro agradável e confiável, principalmente pelo facto de trabalharmos com crianças pequenas que ainda têm uma certa dificuldade em relação ao uso correcto desses espaços”, sublinhou.

Segundo a professora Alcídia Horta, com a pandemia as escolas receberam não só do Ministério da Educação, mas também dos pais e encarregados de educação um suporte extra para o reforço das casas de banho com materiais de higiene, tendo sido igualmente montado um esquema para higienização desde a entrada como dentro da escola.

O Dia Mundial da Casa de Banho, foi instituído pelas Nações Unidas, em 2013 com o objectivo de sensibilizar a sociedade para esta problemática de saúde pública. De acordo com os dados das Nações Unidas, uma em cada três pessoas não dispõe de uma casa de banho com condições de higiene e segurança.

Em Cabo Verde dados mais actualizados, referentes ao ano de 2019, apontam que 14,4 por cento (%) dos agregados familiares não têm acesso as instalações sanitárias e o acesso ao saneamento básico e a rede de esgoto estão concentrados nas áreas urbanas.

Por outro lado, adianta que a nível nacional mais de 85% da população tinha acesso às instalações sanitárias, sendo 48,6% com autoclismo e 36,6% sem autoclismo.

Na cidade da Praia, 89,8% dos agregados familiares tinham acesso às instalações sanitárias sendo 48,7% com autoclismo e 41,2% sem autoclismo. Por outro lado, 10,2%, dos agregados familiares não tinham acesso às casas de banho.

São Miguel (38,5%), “Santa Cruz (37,4%), Ribeira Grande de Santiago (35%) são os municípios cabo-verdianos que apresentavam maiores taxas de agregados familiares sem acesso às instalações sanitárias, sendo que Maio (2,5%) Sal (5,9%), Brava (6,3%%) apresentam menores taxas de agregados sem casa de banho, conforme a mesma fonte.

A ONU definiu, no âmbito do Objectivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) 06 a meta de garantir o acesso à água e saneamento para todos até 2030.

ES/MJB/ZS

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos