Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Dia das Forças Armadas: Anildo Morais despede-se enumerando ganhos conseguidos com “empenho” de toda a estrutura

Mindelo, 15 Jan (Inforpress) – O Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, Anildo Morais, declarou hoje que esta será a última comemoração do Dia das Forças Armadas que preside e enumera ganhos conseguidos com “empenho” de toda a estrutura castrense.

Em jeito de despedida, o major-general, que já está na idade de reforma, declarou que durante todo o tempo que esteve à frente dos desígnios da instituição elegeu “como prioridade o homem, o recurso mais valioso e indispensável e sobre as quais se centrou a acção do comando”.

Anildo Morais, que discursava no acto central da celebração, realizado em São Vicente, enumerou, desta forma, melhorias feitas, entre as quais a aprovação do novo estatuto, do novo sistema de avaliação de mérito, oportunidades de formação, entre outros ganhos.

“Tudo isso foi possível graças ao empenho de toda a estrutura das Forças Armadas, especialmente dos colaboradores directos a quem dirijo uma palavra de agradecimento por todo o suporte conferido”, lançou.

As Forças Armadas cumprem hoje 55 anos na luta em prol da defesa do povo cabo-verdiano, assumindo nos momentos mais críticos da história um contributo, conforme a mesma fonte, decisivo para a edificação e preservação de um Cabo Verde livre e independente. 

“A instituição castrense nacional tem sabido adaptar-se aos desafios que lhe são impostos e às exigências decorrentes da natureza das ameaças, da situação política e económica do País e da evolução em matéria de missões não tradicionais que regularmente é chamada a cumprir, conseguindo fazer tudo isso sem se descaracterizar ou enfraquecer a sua capacidade de intervenção”.

Anildo Morais enfatizou o trabalho feito desde o núcleo fundador que jurou perante Amílcar Cabral, aqueles que fizeram a luta na clandestinidade, os que transitaram no momento de independência e os que se seguiram e que “desempenharam um papel fulcral no desenvolvimento da capacidade do País”.

Por isso, exaltou, o legado de 15 de Janeiro deve ser preservado e ampliado.

“Um legado erigido com sangue, suor e lágrimas de todos que com espírito de sacrifício, abnegação, espírito de corpo e patriotismo serviram as nossas Forças Armadas e que se orgulham de fazer parte dessa história”, considerou.

Durante a cerimónia, o Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas e a ministra da Defesa Nacional destacaram alguns militares com medalhas de mérito por comportamento exemplar e serviços relevantes.

LN/CP

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos