Dia do Trabalhador: SISCAP afirma que trabalhadores cabo-verdianos continuam sem motivos para comemorar

Cidade da Praia, 01 Mai (Inforpress) – O Sindicato da Indústria, Serviço, Comércio, Agricultura e Pesca (SISCAP) afirmou hoje que os trabalhadores cabo-verdianos continuam sem motivos para comemorar e saudou a todos aqueles que continuam ainda com salários precários e sem protecção social.

Eliseu Tavares, que é também coordenador da Plataforma Unir e Resgatar a União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde – Central Sindical (PUR UNTC-CS), falava em conferência de imprensa em que endereçou uma mensagem aos trabalhadores sobre o 1º de Maio, Dia Internacional do Trabalhador.

Para este sindicalista, os trabalhadores cabo-verdianos continuam sem motivos para comemorar sendo que muitos perderam os postos de trabalhos derivado dos impactos negativos da covid-19, e o poder de compra de muitas famílias estão em risco uma vez as medidas do Governo fizeram com que o preço dos bens de primeira necessidade tivessem aumento.

Entretanto, adiantou que a guerra na Europa veio agudizar ainda mais este aumento de preços que culminou hoje com o aumento de preços de combustíveis e nos transportes, fazendo com que os custos de vida das famílias continuem a aumentar disparando a inflação para valores preocupantes.

O SISCAP solidariza-se com os trabalhadores da administração pública que continuam ainda com vínculos contratuais precários, mas também com os das câmaras municipais que continuam a ter um salário abaixo do salário mínimo nacional institucionalizado e sem a protecção social do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS).

“Lembramos os trabalhadores das empresas de segurança privada, cuja tabela salarial ainda não é totalmente respeitada, inclusive pelo próprio Estado que deveria ser o exemplo para as instituições e privadas que compram os serviços de vigilância e limpezas”, apontou o presidente, que deixou também uma mensagem a todos aqueles que “infelizmente continuam a ser explorados e seus direitos negados”.

Por outro lado, exortou a todos os trabalhadores cabo-verdianos a ganharem a consciência da classe e a sindicalizarem para que possam lutar para a melhoria das condições de trabalho.

Eliseu Tavares deixou ainda uma mensagem de solidariedade, de apoio e de conforto à União dos Sindicatos de São Vicente (USSV), que nos últimos tempos vem sendo “penalizados duplamente”.

O sindicalista lembrou que o Dia Internacional do Trabalhador é uma data de reflexão e de luta, mas que “infelizmente em Cabo Verde tem sido um dia de festas”, resultado de “uma fraca cultura reivindicativa” e de “uma fraca consciência de classe”.

Nesta linha, sublinhou que é preciso que os trabalhadores cabo-verdianos, os sindicatos e as autoridades tomem medidas para que a consciência reivindicativa e de classe seja também motor para desencadear as lutas necessárias, para que o trabalho e salários dignos sejam realmente uma realidade. 

A conferência de imprensa contou com a presença de um dirigente do Sindicato dos Trabalhadores das Instituições Financeiras de Cabo Verde (STIF) e do Sindicato Nacional dos Professores (Sindep).

O Dia do Trabalho ou Dia Internacional do Trabalhador é comemorado anualmente no primeiro dia do mês de Maio em diversos países do mundo.

Esta data representa o momento que os empregados e os empregadores têm para reflectir sobre as legislações trabalhistas, normas e demais regras de trabalho.

Nesta data também é homenageada a luta dos trabalhadores que reivindicaram por melhores condições trabalhistas. Graças à coragem e persistência dessas pessoas, os direitos e benefícios actuais dos quais usufruímos foram conquistados.

AV/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos