Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Dia do Pescador/São Vicente: Apesc propõe reflexão sobre “verdadeiro estatuto” do pescador

Mindelo, 05 Jan (Inforpress) – O presidente da Associação dos Armadores de Pesca de Cabo Verde (Apesc) destacou hoje, no Mindelo, “o papel e a importância” dos pescadores no desenvolvimento do País e pediu uma reflexão sobre “o verdadeiro estatuto” do pescador.

É que, segundo João Lima, que falava no acto de abertura das celebrações do Dia do Pescador, comemorado hoje, na Torre de Belém, no Mindelo, é “fundamental analisar” a situação do pescador nas ilhas, “reflectir e perguntar” o que se deseja da classe, para onde ir e qual a meta a atingir.

A Apesc quer ver resolvido, segundo a mesma fonte, o problema da segurança alimentar e social da classe, da segurança jurídica e no trabalho, contratos de trabalho e ainda a problemática de protecção de todo o sector pesqueiro, de que o pescador é “peça fundamental”.

Na mesma linha, continuou João Lima, não se pode continuar a ter os pescadores como “pedintes de uma pensão social”, à margem da reforma, porque o sistema implementado no País para o sector das pescas “não lhe dá margem” para se reformar “com dignidade”.

A mesma fonte nomeou ainda a necessidade de um vínculo contratual “sério e responsável” com o armador nacional, capaz de garantir os direitos deste.

Em representação do Ministério da Economia Marítima na celebração, a gestora do Fundo Autónomo das Pescas, Helena Luz, considerou que a melhoria das condições da pesca é “uma das prioridades” do Governo, e que passa pela segurança dos pescadores e das embarcações, modernização das embarcações de pesca e mercados de peixe, promoção da pesca sustentável, desenvolvimento das comunidades piscatórias e salvaguarda das questões ambientais.

A mesma fonte reafirmou aos pescadores que o Ministério da Economia Marítima está “completamente engajado” para garantir “a sustentabilidade do sector” e transformá-lo num sector económico capaz de contribuir “cada vez mais” para “o bem-estar” dos cabo-verdianos.

Dados revelados pelo presidente da Apesc indicam que Cabo Verde tem 5.078 pescadores no activo, que utilizam botes de pesca artesanal e navios semi-industriais, num País que tem um potencial haliêutico estimado em 36 mi/40 mil toneladas/ano, mas que a captura anual não ultrapassa em média as 15 mil toneladas, ou seja 39,4 por cento (%) do seu potencial.

Dessa captura, 43,71% têm origem na pesca artesanal e 56,29% na pesca semi-industrial, num país com 97 pontos de desembarque.

Celebrado este ano sob o lema “Celebrar o mar, valorizar o pescador”, o programa comemorativo para a ilha de São Vicente incluiu ainda a entrega de equipamentos informáticos de apoio à gestão associativa pelo Instituto do Mar às associações de pescadores da ilha, no âmbito da cooperação com Universidade de Rhode Island (EUA), e ainda uma conversa aberta sobre “Segurança social na pesca: um desafio inadiável”.

No início da cerimónia foi observado um minuto de silêncio em homenagem aos três pescadores recentemente falecidos na faina nos ilhéus, no canal entre as ilhas do Fogo e Brava.

AA/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos