Dia do Município/Brava: Autarca considera estes últimos anos desafiantes mas com “balanço positivo” (c/áudio)

Nova Sintra, 22 Jun (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal da Brava fez hoje um “balanço muito positivo” dos últimos dois anos, pese embora considere-os “desafiantes” devido aos efeitos da pandemia da covid-19.

Francisco Tavares falava em entrevista à Inforpress em modo de balanço e retrospectiva de mais um aniversário do município que se comemora em 24 de Junho, realçando que de 2020 a esta parte, foram anos de muitos imprevistos perante o desconhecido que é a covid-19 e os seus impactos negativos na economia do país e da ilha.

Segundo a mesma fonte, ainda se está a sentir os impactos dessa pandemia que tem sido agravado com sucessivos anos de seca.

“Sendo a Brava um município pequeno onde todo o mundo conhece todo o mundo e as pessoas estão perto do poder local, levou com que a autarquia fosse muito solicitada para acolher as famílias mais carenciadas”, indicou o autarca, sublinhando que foram e estão sendo anos de muita luta e esforço por parte da autarquia.

Entretanto, esclareceu que a situação tem sido enfrentada com “muito empenho” da parte da sua equipa de gestão camarária, mas que também tem tido o apoio do Governo e de organizações internacionais, nomeadamente a Cooperação Luxemburguesa, Organização das Nações Unidas (ONU), tendo assim dado resposta às solicitações.

Igualmente, destacou o “grande papel” que os emigrantes bravenses desempenharam nesse período, no suporte directo aos familiares na Brava que têm também apoiado a autarquia na gestão de situações complicadas em relação à solicitação de apoios.

Embora com menos recursos do que em 2019, Francisco Tavares anunciou que se conseguiu realizar obras dentro do Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades (PRRA), obras financiadas pelo Fundo do Turismo, Fundo Rodoviário e também o Ministério da Agricultura e Ambiente que através de programas emergenciais para a mitigação da seca e dos seus efeitos tem realizado algumas obras.

Igualmente, viu-se e estão a decorrer as obras da requalificação do Centro Histórico de Nova Sintra, a estrada que liga Nova Sintra a Nossa Senhora do Monte, entre outras.

Ainda, a ilha está a ter uma retoma paulatinamente das actividades que tinham sido paralisadas devido à pandemia da covid-19, embora seguido de outros constrangimentos, nomeadamente a questão dos transportes de ligação de e para a ilha e a guerra na Ucrânia com impacto directo no custo de vida e de muitos produtos.

Mas, diz estar confiante de que como sempre foi feito um “djunta-mon” entre a autarquia, Governo, organizações, emigrantes e outras forças vivas da sociedade, assim também vão fazer e trabalhar juntos para ultrapassar mais esta situação.

Quanto ao problema de viagens, tendo em conta que o navio Kriola sofreu uma avaria e não está a fazer viagens, o edil realçou que hoje chegou na ilha um barco que fez a ligação Praia –Brava – Fogo – Brava – Praia e de madrugada haverá uma outra viagem para repor estas ligações e espera que brevemente o navio Liberdadi retome as viagens para substituir o Kriola e assim garantir às ligações como de costume.

MC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos