Deputados na Somália apresentam moção para destituição de Presidente

Mogadiscio, 10 Dez (Inforpress) – Cerca de uma centena de deputados da Somália apresentaram uma moção de censura ao Presidente, Mohamed Abdullahi Farmajo, que acusam de traição por assinar acordos sem o conhecimento do parlamento.

Segundo o documento, os deputados alegam que o Presidente violou a Constituição ao assinar acordos com governos de países vizinhos sem consultar os membros do Parlamento Federal da Somália.

“Apresentámos oficialmente uma moção contra o Presidente por cometer crimes graves, incluindo traição”, disse o deputado somaliano Abdifitah Ismail à Bloomberg.

À imprensa, o vice-presidente do Parlamento, Abdiweli Muudey, referiu que a moção deve ser aprovada pelo Tribunal Constitucional – que a Somália ainda não constituiu – antes de ser debatida no parlamento.

“A moção é nula e inválida porque as alegações são inventadas e faltam provas”, disse Muudey no domingo.

“Além disso, o Tribunal Constitucional que deve promulgar a moção não está, actualmente, em funções. Como tal, a moção não tem fundamentos legais”, acrescentou o responsável.

Entre os acordos aprovados pelo Presidente Farmajo, encontra-se um que permitiu que a Etiópia utilizasse quatro portos da Somália.

De acordo com a Bloomberg, os conflitos na liderança da Somália podem condenar os esforços para renovar o país, que tem sido afectado pela violência e desordem desde o espoletar da guerra civil, em 1991.

Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos