Deputado Moisés Borges denuncia o “calvário” por que diz passar o atleta Gracelino Barbosa

 

Cidade da Praia, 26 Abr (Inforpress) – O deputado do PAICV (oposição) Moisés Borges denunciou hoje aquilo que chama de “calvário” por que passa o atleta paralímpico, Gracelino Barbosa, desde que ganhou a medalha de Bronze na categoria T20 dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro.

Moisés Borges começou por dizer, na sua intervenção antes da ordem do dia, no Parlamento, que quando conquistou a medalha por Cabo Verde, Gracelino Barbosa mereceu múltiplas homenagens, entre as quais uma Medalha de Mérito atribuída pelo Governo.

“Parece que ganhar o Rio foi o fim do percurso porque parou tudo: apoios, ajudas, tudo. Tive de deixar de treinar para trabalhar porque tenho duas meninas. O ministro do Desporto prontificou-se logo a seguir aos jogos paralímpicos a ajudar com a bolsa jovem atleta (que diz ter recebido penas um único mês)”, queixou-se o atleta, em conversa telefónica citada pelo deputado.

Ainda segundo Moisés Borges, com a aproximação de outras competições internacionais e devido à sua paixão pelo desporto, o medalhista conseguiu arranjar tempo para regressar aos treinos e, apesar da “difícil situação” em que se encontra, diz estar “motivado e confiante”.

Isto porque, para o atleta – segundo o deputado -, o campeonato do mundo, no próximo mês, “é uma das melhores possibilidades de fazer mais uma vez história por Cabo Verde”.

Daí que o deputado da oposição aproveitou para apelar a todos, Governo, Presidente da República, empresas e deputados, que juntem as forças no sentido de garantir ao Gracelino Barbosa uma participação nas próximas competições internacionais em nome de Cabo Verde, para onde vai com o intuito de ganhar uma medalha para o país.

Por seu turno, o deputado Hélio Sanches do MpD (partido que suporta o Governo), disse na sua intervenção, apoiar Moisés Borges, por pensar que o atleta merece todo o apoio da parte do Governo, visto ter representado condignamente o país nas competições internacionais.

Já o ministro do Desporto, Fernando Elísio Freire, disse que o Governo cumpriu a legislação concedendo ao atleta um prémio de um milhão e 250 mil escudos.

“Em segundo lugar, Gracelino deixou de ter patrocínio da Caixa Económica, tomei a decisão de o patrocinar imediatamente com 600 euros em regime de urgência. Na mesma decisão instrui a Direcção-Geral do Desporto no sentido de incluir no contrato programa com o COPAC, cerca de 750 contos por ano para o atleta, por isso mesmo não percebemos a forma como traz a questão aqui, e esperamos que no futuro passamos trabalhar e esclarecer toda a verdade sobre o nosso Gracelino”, reforçou o governante.

Na sequência, o deputado Moisés Borges pediu um requerimento à mesa para solicitar os devidos comprovativos desses pagamentos, mas esta solicitação foi à votação e não passou, já que contou com 23 votos a favor, sendo 21 do PAICV e dois da UCID, e 33 abstenções, sendo 32 do MpD e uma do deputado do PAICV Felisberto Vieira.

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos