Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Deputada imputa “erosão” da liberdade de imprensa à “ineficácia das reformas propaladas” pelo Governo

Cidade da Praia, 14 Jun (Inforpress) – A deputada do PAICV (oposição) Carla Lima disse hoje que a “erosão” da liberdade de imprensa em Cabo Verde “é um facto indesmentível” e imputou “essa queda continua” à “ineficácia das reformas” propaladas no último mandato do MpD.

“Um dos destaques desta reforma foi a aprovação dos novos estatutos da Rádio e Televisão de Cabo Verde (RTC) que instituíram um Conselho Independente e, menos de um ano depois do seu empossamento, o Conselho Independente praticamente já não existe, uma vez que a maioria dos seus membros renunciou ao mandato, tendo dois deles integrado as listas do Movimento para Democracia (MpD – no poder) para as legislativas”, disse.

A deputada do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) frisou ainda que a “a morte prematura” do Conselho Independente, que poderia zelar pela fiscalização, independência e autonomia da RTC, “já era previsível, uma vez que a sua composição foi deliberadamente política”.

“Fica claro que a intenção do Governo foi a de forjar um órgão aparentemente independente para poder nomear gente de confiança política para o Conselho de Administração da RTC. No programa que hoje discutimos o Governo promete ainda rever o contrato de concepção do serviço público para a RTC, uma promessa requentada, desde a anterior legislatura. É que o contrato em vigor, apesar das muitas promessas, é de 2013”, afirmou Carla Lima na sua intervenção na sessão extraordinária especial da Assembleia Nacional para apreciação do Programa do Governo e votação da Moção de Confiança.

Carla Lima ressaltou ainda que no caso da Inforpress “a situação é ainda mais grave porque, não obstante os sucessivos anúncios, até hoje não existe sequer um contrato-programa entre o Estado e a Agência”.

“Senhor primeiro-ministro, está em condições de dizer aos cabo-verdianos que agora é de vez que a reestruturação da RTC e da Inforpress vai mesmo avançar”, questionou a deputada, completando que “todos se lembram, até agora, do plano estratégico aprovado “com pompa e circunstância” e orçado em 350 mil contos que foi propalado no mandato anterior ao que o ministro das Finanças e vice-primeiro-ministro respondeu ao Conselho de Administração “nem mais um tostão para a RTC”.

Em relação aos órgãos privados da Comunicação Social, Carla Lima sublinhou que a situação já era deficitária mas piorou com a pandemia e os seus impactos no tecido económico.

“Seria bom o primeiro-ministro dizer aos cabo-verdianos como irá erguer o ecossistema de financiamento do sector privado da Comunicação Social, que mecanismos, que instrumentos de apoio e de incentivo irá o Governo implementar para a suportar o campo dos média sem o qual, é bom que se diga, a democracia e a liberdade de imprensa estarão em maus lençóis neste País”, finalizou.

Em resposta à deputada, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, começou por discordar de que haja “erosão da liberdade imprensa” no País.

“Tal forma nós temos liberdade de imprensa é o seu caso aqui. Antes era presidente da Associação Sindical dos Jornalistas de Cabo Verde (AJOC), jornalista, e hoje está por mérito próprio como deputada da Nação”, afirmou.

Quanto ao Conselho Independente da RTC, Ulisses Correia e Silva reconheceu que “houve situações de incompatibilidade”, mas que o mesmo “vai ser retomado” com a mesma convicção de que se estará a “contribuir bem” para a reforma do sector e reestruturação do sector da televisão e da rádio pública.

“Nós vamos implementar, sim senhor, apesar das condições difíceis que temos hoje. Acredito naquilo que está aqui no Programa do Governo, vamos implementar. E queremos o seu apoio e medidas de reformas que possa apresentar para podermos melhorar a situação da televisão e da rádio públicas”, finalizou dirigindo-se à Carla Lima.

GSF/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos