Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Deputada do MpD diz que criminalidade “não se reduz aos casos de desaparecimento de pessoas”

Cidade da Praia, 11 Jun (Inforpress) – A deputada do Movimento para a Democracia (MpD – poder), Filomena Gonçalves, defendeu hoje que a criminalidade no país “não se reduz aos casos de desaparecimento de pessoas” e que os cabo-verdianos estão “mais confiantes” em matéria de segurança.

Filomena Gonçalves falava aos jornalistas na Cidade da Praia para fazer o balanço das jornadas parlamentares do MpD, visando a preparação da primeira sessão plenária de Junho, que arranca na quarta-feira, tendo como pano de fundo o debate com o ministro da Administração Interna, Paulo Rocha.

Este debate com Paulo Rocha, disse aquela deputada, será uma “excelente oportunidade” de o Governo poder, “uma vez mais”, informar ao país sobre os “vários ganhos” que Cabo Verde tem alcançado nos últimos três anos.

“Os cabo-verdianos estão cada vez mais confiantes e determinados a enfrentar e vender os novos desafios com que o país está confrontado neste domínio”, afirmou Filomena Gonçalves, defendendo que não poderá haver o desenvolvimento e crescimento se não forem vencidos os desafios da segurança.

Aquela deputada do MpD afirmou ainda que as questões à volta da segurança são hoje globais, por causa das ameaças do terrorismo, do narcotráfico e da criminalidade.

Na nossa sub-região da CEDEAO, indicou Filomena Gonçalves, que há ameaças constantes em alguns países membros, tais como Mali, Burquina, Níger e Nigéria. É nesse quadro que, acrescentou, Cabo Verde tem estabelecido “de uma forma inteligente e pragmática parcerias fortes a nível de segurança” junto de países amigos e principais aliados do arquipélago.

Segundo Filomena Gonçalves, os dados sobre a criminalidade dão conta que este fenómeno tem diminuído “substancialmente” nos principais centros urbanos do país fruto de “políticas assertivas” do Governo.

Questionada sobre o aumento de casos de pessoas desaparecidas, aquela porta-voz do grupo parlamentar MpD respondeu que no ponto de vista do seu partido, a criminalidade não se reduz aos casos de desaparecimento de pessoas.

“Estamos a deparar sim com ‘fake-news’, que nós temos que ver que, se calhar, todo o país tem que debruçar sobre isso para ver se não há uma tendência de se tentar, portanto, lançar pânico às pessoas”, acrescentou Filomena Gonçalves, defendendo ainda que é necessário se centrar nos dados.

“Nós acreditamos que temos instituições sérias no país e estamos a trabalhar com os dados (…) acreditamos que a oposição tem todos os instrumentos legais que se se deparar, de facto, com a adulteração dos dados tem mecanismos legais para por cobro a essa situação”, finalizou.

Nesta primeira sessão de Junho, além desse debate com o ministro sobre situação da segurança, os deputas vão ainda se debruçar sobre algumas propostas legislativas, nomeadamente a proposta de lei que define a pensão financeira mensal a atribuir às vítimas de tortura e maus tratos ocorridos em São Vicente e Santo Antão, durante o período de partido único, e um conjunto de outras propostas de lei para discussão na especialidade e votação global.

GSF/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos