Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Daniel Medina confirma a sua candidatura às eleições presidenciais deste ano

Cidade da Praia, 18 Jan (Inforpress) – O professor universitário Daniel Medina confirmou hoje à Inforpress que é candidato às eleições presidenciais de Outubro próximo, fruto de “algumas pressões” da parte da sociedade civil e que, neste momento, a candidatura está a ser “afinada”.

“Temos recebido algumas pressões da parte da sociedade civil de forma a tentarmos romper com círculo vicioso, particularmente no que tange à parte presidencial de que não é aceitável termos um Presidente que seja tão arreigado aos partidos [políticos] ”, precisou Daniel Medina.

Para ele, quando o Presidente da Republica está enraizado num partido, isto “compromete a sua independência e imparcialidade”.

Na sua perspectiva, depois de se analisar todo o processo presidencial, desde a independência até agora, este é um “momento ideal” para se apresentar uma candidatura da sociedade civil, já que, disse, as pessoas “estão muito mais esclarecidas e com mais formação”.

“A sociedade civil precisa também ter voz para se pronunciar na escolha legítima de um Presidente com mais equilíbrio e que possa chamar atenção de determinadas coisas que possam estar a surgir”, indicou.

Não é contra o apoio dos partidos às pessoas, mas, segundo ele, estes “não podem nem tirar a voz nem sufocar a sociedade civil”.

“Daí esta vontade, nós nos candidatarmos a Presidente da Republica para quebrar este círculo”, apontou Medina.

Tinha previsto o anúncio oficial da sua candidatura para finais de Fevereiro ou Março, mas a pergunta lhe foi feita em directo, quando estava no telejornal do domingo a analisar juntamente com o seu colega de painel, Marcos Barbosa, questões atinentes à política nacional, se viu obrigado a responder.

“Dizer que não era extremamente arriscado e poderia causar alguma confusão, resolvemos aceitar que há esta possibilidade e, paulatinamente, vamos afinando os motores”, realçou, referindo-se ao anúncio da sua candidatura presidencial.

Instado com que base conta para a corrida presidencial, assegurou que já tem grupos de jovens e pessoas de partidos a trabalhar na sua candidatura, que é da “cidadania e suprapartidária”.

“A minha base de apoio é diversificada. Tem pessoas de partidos e tem uma grande massa crítica jovem que está insatisfeita com o rumo demasiado partidarizado que a nossa sociedade está a ter”, admitiu, acrescentando que as pessoas querem ajudar a fazer uma ruptura nessa linha “extremamente partidarizada”.

Perguntado se se trata de uma candidatura para seguir em frente, respondeu nesses termos: “Se fosse para desistir, nós não teríamos dado a cara em directo na televisão. Naturalmente, ainda estamos a afinar os motores. A única desvantagem de um candidato a solo é da máquina partidária e dos recursos económicos”.

Sobre o estilo de campanha que vai adoptar, garantiu que, tendo em conta que ainda não se sabe o desenvolvimento da pandemia da covid-19, as pessoas serão contactadas através das redes sociais, onde serão feitos debates e publicados documentos para que os eleitores vejam as suas ideias e propostas sobre o papel do Presidente da República.

Entretanto, o deputado Hélio Sanches, eleito nas listas do Movimento para a Democracia (MpD-poder), foi o primeiro a anunciar a sua candidatura às eleições presidenciais de 2021, seguido do antigo primeiro-ministro e antigo presidente do MpD, Carlos Veiga.

José Maria Neves, também antigo chefe do Governo e ex-líder do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) é tido como um dos prováveis candidatos às próximas presidenciais.

Daniel Medina nasceu em Santo Antão e é professor universitário, investigador, jornalista, escritor e formador. É coordenador dos cursos de Relações Internacionais e Diplomacia e de Ciências da Comunicação na Universidade de Cabo Verde onde labora desde 2005.

No âmbito da investigação, é membro da Associação Francesa de Terminologia e Investigador Externo Permanente do Centro de Linguística da Universidade Nova de Lisboa (2006/2018).

Em termos de formação académica, é Doutor em Ciências Políticas, Mestre em Linguística, Pós-Graduação em Psicologia Social, Pós-Graduação em Direito da Comunicação, Licenciatura em Jornalismo Internacional.

LC/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos