Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

CVMA:  Nhelas Spencer menção honrosa na categoria composição incita jovens a enveredarem para a música tradicional

Cidade da Praia, 05 Mai. (Inforpress) – O músico e compositor Daniel “Nhelas” Spencer, umas das cinco personalidades distinguidas nos CVMA’2019 com a estatueta “menção honrosa”, considerou uma “honra” esta premiação e um “grande motivo” para incentivar novos compositores a dar mais atenção à música cabo-verdiana.

Citado como um dos autores da música tradicional cabo-verdiana mais gravados, Daniel Spencer recebeu a menção honrosa na categoria “compositor”, como reconhecimento pelas suas criações que o mesmo disse ter perdido a noção do número exacto, tantas são as suas obras de que são referências temas como “Nha terra scalabrode” e “Torrão di meu”, gravados pelo agrupamento “Os Tubarões”.

À Inforpress, Spencer, com o estilo de humor que o caracteriza, aconselhou os mais novos a apostarem na música tradicional cabo-verdiana, alegando que os mais velhos vão saindo da circulação e que precisam de seguidores para manterem bem viva a “acutilância” da cultura cabo-verdiana.

Outrora membro do júri dos CVMA,  disse que esta organização que premeia a música cabo-verdiana tem estado a evoluir-se, porquanto, atestou, tem estada a dar um “bocadinho mais de atenção à música tradicional”, com uma atenção particular para géneros como morna e coladeira.

“Estou satisfeito e espero que continuem assim para as próximas edições”, enalteceu este criador que tem uma grande apetência para retratar a sociedade nas suas composições e que revelou ter várias e novas canções na gaveta.

Assim como Nhelas Spencer,  esta nona edição dos CVMA atribuiu a menção honrosa ao jornalista da Rádio de Cabo Verde (RCV) Moisés Évora na categoria de animador de Comunicação Social, ao Dj Straga Beat na categoria menção honrosa DJ, ao rapper Batchard na “menção honrosa solidário” e ao compositor Antero Simas com o tema “Doce Guerra” na categoria “Músicas da nossa Vida”.

Antero Simas, que se encontra em tratamento médico fora do país, tem sido sistematicamente homenageado pelo facto do tema “Doce Guerra” afigurar-se como um autêntico hino de amor a Cabo Verde, temática que tem sido distinguida com o prémio de melhor composição no concurso musical Todo Mundo Canta de 1987 e Prémio B. Leza 1988.

Passado todo este tempo, ainda hoje “Doce Guerra” gravado por vários autores cabo-verdianos, das mais diversas gerações, continua a ser definida “como uma das mais belas canções de amor por Cabo Verde”.

De acordo com a organização, parte das bilheteiras desta IX edição do CVMA destina-se aos deslocados da Beira, Moçambique, em sinal de solidariedade deste certame para com os moçambicanos que passam momentos difíceis com o ciclone Idai que provou vários mortos, feridos e desalojados.

SR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos