CV/Portugal: Presidente da Plataforma das ONG afirma que o acordo a nível da inclusão social vai reforçar e introduzir alguns elementos de inovação

Cidade da Praia, 20 Set (Inforpress)- O presidente da Plataforma das ONG afirmou que o acordo entre Cabo Verde e Portugal a nível da inclusão social, assinado esta tarde, vai reforçar e introduzir alguns elementos de inovação, sobretudo a nível da coordenação dos trabalhos.

A constatação foi feita por Jacinto Santos, hoje, no final do encontro conjunto entre as Organizações Não Governamentais (ONG) cabo-verdianas, os ministérios do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social de Portugal, e da Família e Inclusão Social de Cabo Verde, que culminou com a assinatura de um acordo de cooperação entre os dois países a nível da inclusão social, orçado em quatro milhões de euros (aproximadamente 440 mil contos).

Para Jacinto Santos, o acordo, que acontece no âmbito do novo quadro de desenvolvimento do país, vai reforçar e introduzir alguns elementos de inovação como um trabalho mais coordenado, sendo que há muitas informações dispersas que carecem de alguma sistematização para capitalizar as boas práticas e, sobretudo, reforçar a capacidade de trabalho das instituições.

Para tal, sugeriu que se trabalhe na criação de um sistema de seguimento e avaliação participativo, monitorizado pelo Governo através de políticas e recursos e fiscalizado pela plataforma em termos de controle de execução física e financeira do projectos, sobretudo das associações que estão directamente envolvidas da implementação desses projectos.

Por outro lado, avançou que não existe nada que garanta os impactos que os projectos tiveram, e que falta também a internalização dos objectivos das actividades desses projectos nos planos municipais de desenvolvimento, mas também a nível global, dentro da política de desenvolvimento do pilar social em Cabo Verde.

Jacinto Santos propôs, também, que o projecto se integre mais nas políticas do país a nível global e municipal, de modo a criar sinergias com outros sectores de intervenção, sobretudo territorial, sendo que as acções do projecto beneficia muitas pessoas, sabendo do ponto de vista qualitativo muitas pessoas entraram no processo de ascensão social através de microcredito, formação profissional e profissionalizante e no acesso aos serviços básicos.

O montante disponibilizado para o triénio 2018/2021 vai beneficiar sete associações cabo-verdianas.

O acordo a nível de inclusão social foi assinado esta tarde pelo ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social de Portugal, José António Vieira da Silva, e a ministra da Família e Inclusão Social de Cabo Verde, Maritza Rosabal, à margem da visita de dois dias, que o governante português efectua ao arquipélago.

AV/JMV

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos