Curso mulheres na agricultura, rega e mudanças climáticas vai beneficiar cerca de 250 mulheres rurais

Cidade da Praia, 19 Jul (Inforpress) – Cerca de 250 mulheres rurais da ilha de Santiago vão beneficiar da 1ª edição do curso mulheres na agricultura, rega e mudanças climáticas, visando a redução do custo de produção da água e o aumento da produção agrícola.

O curso, que arranca na segunda-feira, 25, e com a duração de um mês, será ministrado pelo Ministério da Educação através da Direção Nacional de Educação (DNE), financiado pela Agência Espanhola de Cooperação Internacional e Desenvolvimento (AECID), no montante de cerca de 30 mil de euros.

Esta informação foi avançada hoje à imprensa pela directora do Ensino Técnico Profissional e Educação de Jovens e Adultos, Carolina Reis, à margem da cerimónia de lançamento oficial deste curso, na Escola Secundária Polivalente Cesaltina Ramos, na Cidade da Praia.

“Com este curso pretende-se, essencialmente, sensibilizar as mulheres agricultoras que trabalham no campo sobre as vantagens e a importância da utilização da rega gota-a-gota, visando assim, o uso eficiente da água tendo em conta as dificuldades que temos em termos de escassez da água em Cabo Verde”, explicou.

A referida formação visa capacitar, ainda, através do Sistema ECCA de formação à distância, essas mulheres sobre o impacto das mudanças climáticas no sector da agricultura, no uso eficiente da água, visando a redução do custo de produção da água e o aumento da produção agrícola, com recurso a técnicas sustentáveis e modernas de irrigação.

Para além deste curso, Carolina Reis informou que irão dar continuidade, desta feita com o curso sobre empreendedorismo social, durante mais duas semanas, que vai permitir a essas mulheres melhor gerir os seus negócios.

De igual modo, afirmou, vão poder dinamizar ou criar o seu pequeno negócio ligado à questão da agricultura, facilitando deste modo, a comercialização dos seus produtos.

“Ao longo da implementação destes dois cursos iremos também realizar actividades de sensibilização da população sobre a temática do uso eficiente da água, mudanças climáticas, utilização da rega gota a gota, onde essas mulheres estão inseridas e não só”, acrescentou.

O curso vai iniciar-se no dia 25 nesta época que considera “bastante delicada”, tendo em conta o período de chuvas, mas Carolina Reis disse acreditar que elas poderão perfeitamente conciliar a formação com o trabalho de campo, uma vez que as lições serão emitidas por meio da rádio educativa e possivelmente em outras rádios comerciais.

“Mas temos uma outra forma de fazer chegar estas aulas a essas mulheres, através da estratégia de criar um grupo de escuta a nível local, caso tiverem dificuldades de acompanhar as aulas iremos também ter possivelmente apoio de algumas rádios comunitárias”, sublinhou.

A coordenadora geral da Cooperação Espanhola em Cabo Verde, Patrícia Ramos, por sua vez, afirmou que se trata de um dos projectos que fazem parte do programa de cooperação entre Espanha e Cabo Verde, como forma de empoderar as mulheres no sector agrícola do meio rural, através da formação em rega gota-a-gota.

“Podem ter a capacidade de melhorar a sua produção através da receita que vão ter e ter mais capacidades para participar na tomada de decisões no sector económico e da sua própria vida”, precisou a mesma fonte.

O curso insere-se no âmbito do Projecto Melissa, que se iniciou em 2019 para contemplar sobretudo mulheres empreendedoras, no quadro da cooperação entre Cabo Verde e a Região Autónoma das Canárias.

ET/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos