Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Cruz Vermelha de Cabo Verde pretende modernizar jogos sociais recorrendo -se às novas tecnologias – presidente

Mindelo, 23 Nov (Inforpress) – A Cruz Vermelha de Cabo Verde ambiciona modernizar os jogos sociais, Totoloto e Joker, recorrendo-se às novas tecnologias, criando plataformas “totalmente digitais” e outras em terminais, assegurou o presidente da instituição, o tenente-coronel Arlindo Carvalho

Este projecto, conforme a mesma fonte, resulta do programa de mandato da nova direcção e tem a ver com a necessidade de se mudar a forma de fazer os jogos sociais em Cabo Verde

“O projecto em si insere-se no quadro da nova legislação e pretende trazer para o campo dos jogos as novas tecnologias”, explicou Arlindo Carvalho, adiantando que com esta modernização haverá duas plataformas, uma com dimensão totalmente digital e outra em terminais.

Desta forma, ajuntou, vai-se acabar com o sistema actual que é “muito informal” e introduzir a informatização e, por esta via, organizar todo o sistema logístico nacional.

“A logística actual é muito pesada, implica meios de transporte marítimo e terrestre, o que para Cabo Verde nem sempre é bom, tendo em conta as nossas particularidades”, assegurou o presidente da Cruz Vermelha de Cabo Verde, com a percepção de que, por outro lado, vai-se acabar com as limitações de algumas ilhas, que, por exemplo, só conseguem jogar até quarta ou quinta-feira.

“Vamos fazer uma certa justiça em relação a essas ilhas”, reiterou, acrescentando a possibilidade de se permitir que qualquer cidadão cabo-verdiano ou estrangeiro, que esteja inserido no sistema bancário nacional, possa participar dos jogos sociais, estando em qualquer ponto do território nacional ou mesmo no estrangeiro.

A modernização, conforme a mesma fonte, irá facilitar a vida dos jogadores de Totoloto e do Joker, que agora em vez de perder tempo, por exemplo nas bichas, podem jogar através de um simples telemóvel ou portátil ou mesmo de um terminal com comunicação com internet.

Por outro lado, vão ser introduzidos novas modalidades de jogos existentes noutras paragens.

Arlindo Carvalho garantiu que a digitalização não vai afectar no preço, que se manterá, mas a probabilidades nas apostas e nos ganhos serão “mais equitativos” e vai-se estar “mais em consonância” com os jogos sociais fora de Cabo Verde.

Isto porque, segundo a mesma fonte, o sistema actual não se adequa ao regulamento internacional dos jogos sociais e, por outro via, far-se-á a mudança com base na lei publicada recentemente em Cabo Verde que “dá vazão e cobertura” a todo o sistema moderno idealizado.

Questionado sobre prazos para esta efectivação, Arlindo Carvalho garantiu que já estão prontos, com estudos feitos, projectos montados e até financiamento, aguardando somente a assinatura do contrato de concessão com o Governo.

“Como podem imaginar são centenas de milhares de contos e para isso temos que ter um documento que nos dá garantia que a Cruz Vermelha de Cabo Verde irá explorar aquilo durante vários anos”, concretizou o líder da instituição, para quem as mudanças vão “revolucionar todo o sistema de jogos e potenciar arrecadação de receitas para as actividades sociais do Governo e da Cruz Vermelha”.

O projecto de modernização foi apresentado hoje, no Mindelo, aos agentes do norte do país, São Vicente e Santo Antão, a quem foi dado a conhecer também o novo regime jurídico.

LN/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos