Crises: Medidas de mitigação representam 8.8 milhões de contos e mais de 15% do Orçamento global – Governo

Cidade da Praia, 21 Set (Inforpress) – As medidas de mitigação adotadas pelo Governo, para estabilizar os preços dos produtos alimentares, do setor de eletricidade e combustíveis e de alargamento da pensão social do regime não contributivo, representam um total de 8.8 milhões de contos.

Ou seja, segundo anunciou hoje o vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, até ao final do ano, Cabo Verde deverá gastar mais de 15% do Orçamento global de 2022 e mais de 5% da riqueza nacional.

“Nós já temos até este momento engajado e comprometido, em termos de medidas de políticas públicas nestes setores, mais de 50% deste valor referido. Ou seja, uma receita de mais de 4 milhões de contos comprometidos do ponto de vista de intervenção do Governo”, afirmou o ministro.

Em conferência de imprensa realizada hoje para fazer o balanço da implementação das medidas de mitigação da crise adotadas pelo Executivo, Olavo Correia reafirmou que essas medidas estão a ser implementadas desde o mês de Março a vários níveis do ponto de vista de intervenção do Governo nos sectores da economia, energia e o agroalimentar, sectores que foram os mais impactados com esta tripla crise.

Ainda nas suas declarações, Olavo Correia relembrou que o actual Executivo está a governar num contexto de “uma enorme” crise internacional, na sequência de uma crise climática forte em Cabo Verde, com as secas permanentes, profundas e continuadas, sem se esquecer da crise provocada pela Covid-19 e os impactos diretos provocados pela guerra na Ucrânia e a agora uma possível recessão económica no próximo ano.

“Portanto, não são boas notícias, ninguém pode esperar facilidades. Nós é que temos que ser mais fortes para sermos capazes de vencer os desafios com os quais estamos confrontados”, acrescentou.

Apesar da tendência ser para uma redução da actividade económica, aumento da inflação e das taxas de juros no mercado internacional e ao nível do mercado cabo-verdiano, para Olavo Correia, o Governo de Cabo Verde tem dado respostas com impactos visivelmente na vida das famílias.

“Desde Março tomamos medidas de políticas públicas corajosas. Não tomamos essas medidas hoje, foram tomadas desde Março deste ano e foram medidas corajosas para actuar a vários níveis do ponto de vista de intervenção no que tange ao sistema alimentar”, disse.

Tais medidas, defendeu, são para garantir não só o abastecimento, mas também o nível de preço suportável para os nossos concidadãos.

O vice-primeiro-ministro indicou ainda medidas ao nível do sector de eletricidade e dos combustíveis, nomeadamente fiscais, parafiscais, financeiras entre outras, bem como aquelas para alargar a pensão social do regime não contributivo para mais de três mil beneficiários, mas também para aumentar o número de beneficiários no que tange ao rendimento social de inclusão.

GSF&JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos