Criação de empregos: PAICV diz que há “grande desalinhamento” entre compromissos eleitorais e soluções apresentadas

 

Cidade da Praia, 24 Abr (Inforpress) – O grupo parlamentar do PAICV (oposição) considera que há um “grande desalinhamento” entre os compromissos eleitorais do MpD e as soluções apresentadas pelo Governo para fazer face ao problema do desemprego em Cabo Verde.

Durante a sua primeira intervenção no debate parlamentar sobre as políticas do emprego, solicitado pelo grupo parlamentar do Movimento para a Democracia (MpD), o deputado Julião Varela, do PAICV, recordou que os dados do INE, divulgados recentemente, indicam que o número de desempregados aumentou com 9.356 indivíduos, comparativo com ano de 2015 e que em termos percentuais a taxa de desemprego aumentou de 12,4 para 15 por cento em 2016.

“Esses dados colocados em cima da mesa põem em causa todos os discursos abalofes apresentados pelo partido do Governo em como a situação estaria a evoluir positivamente e que o acesso aos postos de trabalho e ao rendimento estavam a ser garantidos de forma sustentável”, disse.

“Ninguém pode negar que há um grande desalinhamento entre os compromissos eleitorais assumidos pelo Governo e as soluções apresentadas para fazer face a real situação da população que espera desesperadamente uma ocupação para garantiu acesso a rendimentos para satisfação das necessidades da sua família”, afirmou.

João Varela frisou que esse aumento de desemprego contraria todos os esforços que vinham sendo feitos no sentido da redução progressiva e sustentada do desemprego nos últimos anos, em que o país saiu de uma taxa de16,8% em 2012 para 12,4% em 2015.

“Contraria, também, todas as expectativas quer pela campanha eleitoral, quer pelo programa e pelo discurso do actual primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, e pelo discurso do MpD, que prometeu criar três empregos por dia em cada ilha. Portanto, 27 empregos por dia, 9 mil empregos por ano e 45 mil durante o mandato”, disse.

Sobre a intervenção do ministro da Economia e do Emprego, José Gonçalves de que o Governo já cumpriu um terço das promessas dos postos de trabalho ao serem criados em 2016 um total de 15.240 postos de trabalho, o deputado Julião Varela questionou esse dado pedindo ao governante para explicar de onde o tirou.

“Esse número representa tão somente a diferença entre a população activa de 2015 e 2016 e que é tudo menos a criação de novos postos de trabalho. Aliás, o INE não calcula número de postos de trabalho criados. Insistir nisso representa uma grande falta de respeito ao cabo-verdianos e, particularmente aos jovens”, sublinhou.

“O que se lê no relatório do INE é que se houve redução de actividades na Administração Pública, educação, na saúde, actividades artísticas, no sector doméstico e comércio, indústria transformadora e, consequentemente, menos empregos”, disse o deputado do PAICV.

Julião Varela explicou ainda que há uma grande diferença entre a geração de emprego que pode durar uma hora, duras horas e uma semana, ou mesmo até um ano e a criação de postos de trabalho que pressupõe durabilidade, segurança e salário digno.

Por isso, pediu ao ministro da tutela que neste debate não venha a reler, novamente, o programa do Governo e retomar as promessas eleitorais, mas que assuma o compromisso de, de facto, trabalhar para que os cabo-verdianos tenham emprego e rendimento.

MJB /CP
Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos