CPLP: Rede de Jovens Parlamentares debate situação política, económica e social e a questão da mobilidade

Lisboa, 21 Jun (Inforpress) – A situação política, económica e social dos países e a questão da mobilidade esteve na ordem do dia da reunião da Rede de Jovens Parlamentares da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), reunida em Lisboa.

Cabo Verde esteve representado pelo deputado do Movimento para a Democracia (posição), Luís Carlos Silva, que à Inforpress em Lisboa confirmou os temas que estiveram em debate durante todo o dia desta segunda-feira, 21, na reunião que decorreu na Assembleia de República de Portugal.

Na ocasião, o secretário Executivo da CPLP, Zacarias da Costa, realçou que “sendo os jovens a maioria da população mundial, a eleição de parlamentares jovens, e a sua organização em redes que propiciam a troca de experiências e boas práticas não pode senão contribuir para, por um lado, conferir-lhes uma voz activa e torná-los parte efectiva do processo democrático, como contribui, também, para consolidar e rejuvenescer as democracias dos países, tornando-as mais representativas e inclusivas”.

Zacarias da Costa recordou que “o facto da larga maioria da população dos Estados-membros da CPLP ser constituída por jovens com menos de 25 anos é um factor absolutamente decisivo para a construção do presente e do futuro da comunidade”.

Para o responsável, “os desafios e as necessidades” dos jovens da CPLP devem instar todos a identificar soluções e políticas que se traduzam em “resultados positivos e que sirvam as legítimas aspirações dos jovens”.

A Rede dos Jovens Parlamentares da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa foi criada na reunião da Assembleia Parlamentar da CPLP (AC-CPLP) realizada em Luanda (Angola), em Julho 2019, tendo em vista um “maior reconhecimento” da juventude, que constitui “a maior parte da população” dos países da comunidade.

Neste momento, todos os países membros já ractificaram o Acordo sobre a Mobilidade entre os Estados-membros da CPLP, com excepção da Guiné Equatorial. Angola ainda não depositou a ractificação na CPLP, mas já terminou o processo interno há algum tempo.

O acordo sobre a mobilidade foi assinado em 17 de Julho de 2021, em Luanda, pelos nove países de língua portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Portugal e Timor-Leste).

O mesmo tipifica quatro situações relacionadas à facilidade de mobilidade entre os países signatários, nomeadamente a estada de curta duração, estada temporária, visto de residência e autorização de residência.

A CPLP, fundada a 17 de Julho de 1996, é o foro multilateral privilegiado para o aprofundamento da amizade mútua e da cooperação entre os Estados-membros.

DR/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos