Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

CPLP e Organização dos Estados ACP assinam memorando de cooperação

Lisboa, 24 Jun (Inforpress) – A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e a Organização dos Estados de África, Caraíbas e Pacífico (OEACP) assinaram hoje um memorando de entendimento para a cooperação futura em vários domínios, como a língua portuguesa.

O memorando, assinado pelo secretário-geral da OEACP, o antigo ministro das Relações Exteriores de Angola Georges Chikoti, e pelo secretário-executivo da CPLP, Francisco Ribeiro Telles, na sede da CPLP, “é um ponto de partida” para as duas organizações trabalharem em conjunto para “o desenvolvimento” dos países que representam, disseram os dois responsáveis.

Após a assinatura do documento, Ribeiro Telles afirmou que este é “o pontapé de saída para uma cooperação intensa entre as duas organizações” e este memorando vai permitir “desenvolver a cooperação em múltiplas áreas”.

Já Georges Chikoti sublinhou, por seu lado, o facto de a OACP ter no seu seio membros regulares de expressão portuguesa – Angola, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Guiné-Bissau – e adiantou que quer fazer “com que a língua portuguesa seja um dos elementos” da cooperação com a CPLP.

O responsável destacou ainda o facto de as duas organizações terem “os mesmos desafios em termos de desenvolvimento”, nomeadamente a luta “contra a pobreza”.

Questionado sobre quais seriam os sectores, além da língua portuguesa, em que as duas organizações poderiam desenvolver a sua cooperação, Georges Chikoti deu como exemplos “questões que têm a ver com o desenvolvimento”, como saúde e educação.

O responsável da OEACP destacou ainda as áreas da defesa e segurança, neste último caso tendo em conta não só o caso de Cabo Delgado, em Moçambique, mas também a “situação do terrorismo na região do Sahel”.

O memorando surge na sequência de uma recente deslocação oficial a Bruxelas do secretário-executivo da CPLP, durante a qual se reuniu com Chikoti.

Hoje, após a assinatura do memorando, o responsável da OEACP referiu a “necessidade de recrutamento de intérpretes”, mas também admitiu a possibilidade do ensino do português dentro da organização como uma possibilidade a estudar.

A Organização dos Estados da África, Caraíbas e Pacífico é um grupo de 79 países daquelas regiões criado pelo Acordo de Georgetown, em 1975.

Os principais objectivos da organização são o desenvolvimento sustentável e a redução da pobreza nos seus Estados-membros, bem como uma maior integração na economia mundial.

Todos os Estados-membros, exceto Cuba, são signatários do Acordo de Cotonou com a União Europeia, que estende a parceria a novos atores, como sociedade civil, sector privado, sindicatos e autoridades locais. Estes estarão envolvidos em consultas e planeamento de estratégias de desenvolvimento nacional, com acesso a recursos financeiros e envolvidos na implementação de programas.

Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste são os nove Estados-membros da CPLP.
Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos