Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19:Universidade de Santiago pondera reiniciar as aulas só depois do estado de emergência

Cidade da Praia, 22 Abr (Inforpress) – O reitor da Universidade de Santiago, Gabriel Fernandes, avançou hoje à Inforpress que não optaram pelo ensino à distância e estão a ponderar reiniciar as aulas só depois do estado de emergência.

Desde do dia 20 de Março que esta universidade privada, sediada em Assomada, no concelho de Santa Catarina, tem em marcha o seu plano de contingência, tendo optado por suspender todas as actividades lectivas e os estágios curricular e não curricular.

A UniSantiago, segundo este responsável, continuou apenas com o sistema de acompanhamento ‘online’, orientações à distância e algumas aulas, a nível do mestrado e suporte para a licenciatura, através do ‘e-learning’ para os cursos tecnológicos, como engenheira e informática e ainda curso de enfermagem (nutrição e qualidade alimentar”.

Contudo, ao contrário das outras universidades do País, a Universidade de Santiago não pondera alargar o ensino à distância, aguardando pela normalização da situação do País que está em estado de emergência desde 29 de Março.

“Não vamos massificar o ensino à distância. Estamos a ponderar reiniciar só depois do estado de emergência para garantir a segurança para todos os membros da comunidade académica, e queremos evitar o máximo qualquer possibilidade de contágio e tudo que pode contribuir para a disseminação da covid-19”, assegurou.

Gabriel Fernandes justificou a sua decisão com o facto de muitos dos alunos terem dificuldade no acesso ao sistema ‘e-learning’, uma vez que muitos não têm computador e nem Internet. Mesmos os que tiverem acesso ao computador, sublinhou, as aulas ‘online’ iriam acarretar mais despesa com a Internet.

“Não queremos deixar ninguém para trás, senão corremos o risco de andar em duas velocidades: um para os que têm acesso e avançam e outro para os alunos que não têm acesso e que ficam prejudicados”, finalizou.

AM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos