Covid-19: União Europeia vai disponibilizar mais cerca de 10 milhões de euros a Cabo Verde (c/vídeo)

Cidade da Praia, 15 Mai (Inforpress) – A embaixadora da União Europeia em Cabo Verde, Sofia Moreira de Sousa, avançou hoje à Inforpress que o segundo desembolso da instituição para Cabo Verde poderá atingir cerca de 1 milhão de contos, aproximadamente 10 milhões de euros..

No passado mês de Abril, a UE disponibilizou cinco milhões de euros (551 mil contos) ao tesouro nacional, em resposta ao pedido formulado pelo Governo de Cabo Verde, para ajudar o país na luta contra o coronavírus.

Em entrevista hoje à Inforpress, a embaixadora informou que já estão a trabalhar num desembolso maior, que no futuro próximo será disponibilizado ao País para fazer face a essa crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

“Temos uma equipa que tem estado a trabalhar incansavelmente neste sentido, juntamente com o Ministério das Finanças e os serviços respectivos a nível nacional. Estamos a acelerar para que o desembolso ocorra o mais rapidamente possível”, informou.

Neste contexto da pandemia, a diplomata esclareceu que a União Europeia tem sido um “actor que mais tem apoiado os esforços internacionais” das organizações como a Organização Mundial da Saúde, mas também as instituições de investigação na área da saúde.

Para além desses esforços globais, precisou que Cabo Verde, enquanto membro da comunidade internacional e parceiro privilegiado é, “obviamente”, beneficiado pela EU e ainda é ajudado enquanto estado membro da CEDEAO, com apoios que são dados a esta organização.

No quadro da cooperação bilateral, Sofia de Sousa acentuou que estão a redesenhar os projectos que estão a ser implementados em Cabo Verde de forma a poderem dar resposta à situação de emergência, reforçar os cofres do estado e apoiar as famílias mais vulneráveis.

“Agora, um segundo desembolso acontecerá, mas não tenho uma data específica porque estamos a trabalhar com todas as partes, e há a necessidade de justificação, que é mais rigorosa”, disse, sublinhando que é um “desembolso importante”, mas que não se pode esquecer que este desembolso ocorre numa altura em que os 27 países da UE também sofrem com este vírus que trouxe consequências a nível da saúde e da economia.

Nesta conjuntura, a embaixadora assegurou que a UE está a equacionar uma série de políticas internas, mas que não vão deixar de apoiar os países parceiros.

“É também nos maus momentos que se pode contar com os parceiros e uma parceria implica benefícios, implica responsabilidade e é preciso agora que, realmente, ambas as partes mostrem que são capazes de corresponder a esta responsabilidade”, salientou.

Todos esses apoios, justificou, prende-se com a relação estreita entre a União Europeia e Cabo verde, que a seu ver, “não é uma relação entre Estado, mas sim é uma relação entre os povos”.

AM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos