Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19: Portugal contribui com mais de 1 ME para resposta humanitária na CPLP

Lisboa, 14 Mai (Inforpress) – Portugal contribuiu com um milhão e 80 mil euros para o Plano Global de Resposta Humanitária à covid-19, lançado pela Organização das Nações Unidas (ONU), informou hoje, em comunicado, a embaixada portuguesa em Moçambique.

A contribuição foi consignada no âmbito do apoio a Estados-membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e Timor-Leste, referiu a nota da representação diplomática portuguesa em Maputo.
Além de outras medidas de apoio nos países de língua portuguesa, na luta contra a pandemia provocada pelo novo

coronavírus, Portugal contribuiu com “um milhão e oitenta mil euros para o Plano Global de Resposta Humanitária à Covid-19, consignados aos países da CPLP e Timor Leste”.

Deste contributo financeiro para o plano lançado pela ONU, assim como para outras acções complementares, “500 mil euros serão destinados directamente à Organização Mundial da Saúde (OMS)”.

“Este contributo apoiará igualmente o trabalho desenvolvido por outras agências das Nações Unidas”, nomeadamente a Organização Internacional para as Migrações (OIM), Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e Programa Alimentar Mundial (PAM), “bem como o Comité Internacional da Cruz Vermelha”, adiantou a nota.

A criação de uma linha “específica para cofinanciamento de projectos de organizações não-governamentais de desenvolvimento [ONGD] na área humanitária”, sobretudo nos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa), é outra das medidas apontadas no documento.

“Foi criada uma nova Linha de cofinanciamento de projectos de ONGD, no âmbito da pandemia da covid-19, no valor global de 750 mil euros, que irá apoiar o trabalho destas organizações, sobretudo nos PALOP, com foco nos sectores da saúde e socioeconómico”, acrescentou o comunicado.

Além destas medidas, também foi efectuada uma reorientação da Linha de Cofinanciamento de ONGD 2020, através do reforço “com um envelope financeiro de 1,8 milhões de euros, destinada aos PALOP”, que dará prioridade aos projectos de combate à pandemia de covid-19 nesses países.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 297 mil mortos e infectou mais de 4,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,5 milhões de doentes foram considerados curados.

Em África, há 2.475 mortos confirmados, com quase 72 mil infectados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné-Bissau lidera em número de infecções (913 casos e três mortos), seguindo-se a Guiné Equatorial (439 casos e quatro mortos), Cabo Verde (315 casos e duas mortes), São Tomé e Príncipe (231 casos e sete mortos), Moçambique (115 casos) e Angola (45 infectados e dois mortos).

O país lusófono mais afectado pela pandemia é o Brasil, com mais de 13.100 mortes e cerca de 189 mil infecções.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos