Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19/Porto Novo: Famílias do Planalto Norte voltam a pedir à edilidade suspensão temporária da taxa de energia eléctrica

Porto Novo, 13 Abr (Inforpress) – As famílias no Planalto Norte, no município do Porto Novo, Santo Antão, insistiram hoje na necessidade de a edilidade portonovense suspender, “por algum tempo”, a cobrança da taxa de energia eléctrica, fornecida a partir da central fotovoltaica local.

A porta-voz das famílias, Dercia Paula, informou que, praticamente, as famílias no Planalto Norte estão a enfrentar “sérias dificuldades”, devido às restrições impostas pelo estado de emergência para fazer face à pandemia do novo coronavírus, medida que paralisou, “por completo”, a pecuária nessa localidade, único meio de sustento da população.

Planalto Norte possui uma central fotovoltaica solar, gerida pela Câmara Municipal do Porto Novo, que fornece luz eléctrica a 50 famílias, as quais têm estado a pedir à autarquia a suspensão, por “alguns meses” do pagamento da taxa de energia, que varia entre os 750 escudos e 1.500 escudos mensais.

É que as medidas adoptadas pelo Governo para se evitar a propagação do novo coronovírus (covid-19) em Cabo Verde acabaram por “paralisar” a pecuária no Planalto Norte, a única actividade económica praticada nessa comunidade, onde as famílias estão sem quaisquer rendimentos, explicou, também, o morador Luciano Santos.

A seu ver, a grande maioria dessas famílias vai ter “muitas dificuldades” para assumir este encargo, numa altura em que não têm quaisquer rendimentos, já que “a pecuária está completamente paralisada” no Planalto Norte.

Exorta, por isso, a autarquia a isentar essas pessoas, por algum período, do pagamento da  energia eléctrica.

A associação comunitária Luz Verde do Norte, no Planalto Norte, já tinha alertado para a situação das famílias nessa parcela do território municipal, que, sem rendimentos, enfrentam “uma situação de extrema venerabilidade”.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos