Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19: Papa Francisco aparece de máscara pela primeira vez em público

Cidade do Vaticano, 09 Set (Inforpress) – O Papa Francisco apareceu hoje, pela primeira vez desde o início da pandemia de covid-19, de máscara de protecção em público, enquanto se deslocava para uma audiência geral.

Seis meses após as tradicionais audiências de quarta-feira gravadas ao vivo na sua biblioteca privada, o Papa retomou hoje este encontro na presença de 500 fiéis e ao ar livre.

Francisco colocou a máscara de protecção quando saiu do carro e usou-a durante o percurso até à audiência geral.

Quando retirou a máscara, o Papa evitou apertar as mãos e beijar crianças, como fazia antes na Praça de São Pedro, no Vaticano.

No entanto, aproximou-se dos fiéis que se aglomeravam ao longo da protecção instalada, em vez de permaneceram nas cadeiras espalhadas no local.

Alguns dos fiéis baixaram máscara para tentar cumprimentar o papa, enquanto outros colocaram um presente nas suas mãos, como uma caixa com pastéis ou um boné branco.

Antes de iniciar a catequese e após apertar as mãos das autoridades religiosas que participaram na audiência, Francisco recomendou à multidão que “cada um voltasse para sua cadeira” para “evitar o contágio”.

O texto de hoje voltou a centrar-se nas consequências socioeconómicas de um vírus “sem barreiras” e defendeu uma sociedade mais unida ao denunciar aqueles que pretendem tirar “benefícios económicos ou políticos”.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 898.503 mortos e infectou mais de 27,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.849 pessoas das 61.541 confirmadas como infectadas, de acordo com o boletim mais recente da Direcção-geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em Fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Inforpress/Lusa

Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos