Covid-19: Ministro da Saúde afasta retorno ao uso obrigatório de máscara mas apela à vacinação (c/áudio)

Mindelo, 16 Jun (Inforpress) – O ministro da Saúde, Arlindo do Rosário, refutou hoje, no Mindelo, a ideia de Cabo Verde voltar ao uso obrigatório de máscara na via pública apesar do aumento de casos nos últimos dias, mas, apelou à vacinação.

Questionado pela imprensa sobre o aumento de infecções nos últimos dias, inclusive com 202 alcançados nesta quarta-feira, 15, Arlindo do Rosário remeteu para a tendência mundial de aumento de casos, e que têm feitos os países “mais do que olharem para a incidência dos números de casos, olharem para a pressão sobre os serviços de saúde”.

“Felizmente, nos países onde a taxa de vacinação é elevada, o impacto sobre as estruturas de saúde têm sido relactivamente reduzida e é o que está a acontecer connosco”, afiançou o ministro, contudo, com a ideia de que se pode melhorar.

Isto é, segundo a mesma fonte, “se se fizer aquilo que deve ser feito, que é vacinar-se”.

O governante instou os cabo-verdianos a tomarem a segunda dose, se ainda têm só uma, ou a tomarem a dose de reforço, que está disponível.

“Está nas nossas mãos cuidarmos, porque o vírus está a circular e vai continuar a circular, portanto, temos é que criar condições e capacidade imunológica de resposta ao vírus através da vacina”, lançou.

Daí, que, segundo a mesma fonte, não está programado voltar ao uso obrigatório de máscaras em Cabo Verde, até porque “países que estão com taxas de incidência muito maior, até de mais de 900 por 100 mil não estão a fazer isso”.

“A análise que fazemos hoje da pandemia não é a mesma que se fazia antes da vacina, hoje temos capacidade e, portanto, façamos para que a vida possa ser o mais próximo do normal em termos de actividade económica e de lazer”, exortou Arlindo do Rosário, pedindo que todos se vacinem porque há vacina para isso.

LN/HF

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos