Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19: Medidas de restrição serão levantadas consoante situação epidemiológica de cada ilha, Governo (c/áudio)

Cidade da Praia, 24 Abr (Inforpress)  – O primeiro-ministro anunciou hoje que as restrições do estado de emergência serão levantadas progressivamente, consoante a situação epidemiológica de cada ilha e que “tão cedo não haverá festivais, festas ou actividades que impliquem ajuntamento significativo” de pessoas.

Na sua declaração ao País, na manhã de hoje, sobre medidas de prevenção sanitária e de protecção civil pós-estado de emergência, Ulisses Correia e Silva disse que restrições de visitas a lares, centros de idosos, hospitais e a outros estabelecimentos de saúde e prisionais continuarão em vigor.

Estas medidas, revelou, só serão levantadas mediante a situação epidemiologia do País e de cada ilha, ao mesmo tempo que realçou que as restrições relacionadas com os transportes aéreos, marítimos de passageiros inter-ilhas continuarão depois do Estado de emergência.

Neste particular, especificou que o levantamento de limitações dos transportes aéreos e marítimos de passageiros internacionais dependerá do contexto interno de Cabo Verde e externo dos diversos países.

O chefe do Governo alertou para a necessidade do cumprimento com “rigor e disciplina” das medidas do confinamento obrigatório, isto é, ficar em casa, considerando ser determinante esta orientação para poder combater com eficácia a pandemia.

Considerando que os serviços de saúde, de protecção civil e das forças de segurança estão determinados na contenção da propagação do novo coronavírus nas ilhas de Santiago e da Boa Vista, avisou que o fim do estado de emergência não simboliza o desaparecimento do vírus.

Com o fito de evitar o descontrolo da propagação do vírus, Correia e Silva voltou a recomendar o rigor nas medidas de distanciamento social, e protecção individual, alertado que o fim de confinamento obrigatório em casa não obriga as pessoas a deixarem de serem vigilantes e cuidadosos nos contactos.

O primeiro-ministro considerou “crucial”, que, com o fim do estado de emergência, continuar a  conciliar, “na medida do possível”, o trabalho presencial com o teletrabalho.

Afirmou que as restrições relacionadas com a interdição de eventos e de actividades que envolvam aglomeração de pessoas e que aumentam os riscos de contágios continuarão a ser aplicada, mesmo depois do levantamento do estado de emergência.

Por isto, pediu aos cabo-verdianos que estejam vigilantes e que continuem a cumprir as regras de distanciamento social e de protecção individual num ambiente de “maior mobilidade e liberdade” de circulação de pessoas.

Cabo Verde regista actualmente 82 casos de covid-19, sendo 52 na ilha da Boa Vista, 28 no município da Praia (dois dos quais vindos da Boa Vista), um no concelho do Tarrafal e um na ilha de São Vicente.

Dos casos confirmados, registou-se um óbito, um cidadão inglês de 62 anos, que se encontrava de férias na ilha da Boa Vista, e um doente recuperado.

Desde o dia 18 de Abril que está em vigor um segundo período de estado de emergência em Cabo Verde, decretado pelo Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, sendo que para as ilhas da Boa Vista, Santiago e São Vicente, todas com casos de covid-19, vai até às 24:00 de 02 de Maio, e nas restantes ilhas habitadas, sem casos diagnosticados, o estado de emergência vai até às 24:00 de 26 de Abril.

SR/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos