Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19/Maio: Autarca concorda com prolongamento do estado de emergência e tratamento diferenciado às ilhas sem contágio (RECTIFICADA)

Porto Inglês, 17 Abr (Inforpress) – O edil maiense, Miguel Rosa, manifestou hoje estar de acordo com a decisão do Presidente da República em ter prorrogado o estado de emergência, ressalvando que esperava um tratamento diferente às ilhas sem contágio.

Em declarações à Inforpress, o autarca assegurou estar de acordo com a decisão do Presidente da República, a quem disse confiar nas suas decisões, sublinhando que acredita que o Chefe de Estado terá tomando a decisão com base em dados “muito fiáveis”, de acordo com as informações recolhidas junto dos seus colaboradores.

O presidente da Câmara Municipal do Maio admitiu que esta tomada de decisão de Jorge Carlos Fonseca terá por base o entendimento de que era preciso dar mais tempo, a fim de se compreender melhor a situação particular de cada ilha e,  em concreto,  das que vêm registando alguns casos de contágio da covid-19 ou mesmo aquelas que registaram casos suspeitos.

O edil diz ser um imperativo que todos acatem a decisão do Presidente da República, com vista a se conseguir vencer esta situação inédita que o país e o mundo vivem neste momento, para que as ilhas,  que neste momento ainda não registaram nenhum caso,  não venham a ser contagiadas.

Miguel Rosa salientou ainda que, no que tange à protecção da ilha, com a proibição de não entrada e saída de pessoas não autorizadas, a autarquia, em parceria com a Protecção Civil e a Guarda Costeira, tem estado a vigiar as praias durante vinte 24 horas, a fim de não permitir que nenhuma embarcação aporte na ilha.

O autarca explicou que esta medida vem sendo suportada pela verba do projecto Turismo Solidário e Comunitário, na vertente da sensibilização, pelo que reservaram este montante para esta causa, abraçada também pela Policia Nacional, Instituto Marítimo Portuário local e o Serviço Nacional da Protecção Civil.

Miguel Rosa admitiu, no entanto, não ter a certeza a sua continuidade após o levantamento do Estado de emergência na ilha.

O presidente da Câmara Municipal não descarta ainda a possibilidade de a autarquia reiniciar os trabalhos que vinha fazendo nos diversos povoados, assim como na cidade do Porto Inglês, respeitando sempre as normas do distanciamento social que se exige neste momento.

A ideia, explicou, é assim que for levantado o estado de emergência na ilha, trabalhar com vista a dinamizar a economia local, indicando que os técnicos do gabinete estão a trabalhar neste sentido.

“Claro que o orçamento municipal vai sofrer algumas algumas alterações”, disse, salientando que os grandes compromissos assumidos com os maienses vão ser mantidos, embora tenha admitido que a prioridade de momento é salvaguardar e proteger a vida e a saúde dos maienses.

Miguel Rosa lembrou, igualmente, que tudo estava apostos, para ser lançado durante este mês, um projecto turístico que, na sua opinião, viria dinamizar a economia local e nacional, mas que devido a esta situação ,  esta pretensão foi adiada para uma próxima ocasião.

No que tange aos maienses que se encontram fora da ilha, em concreto na ilha da Boavista e que possivelmente poderão estar a necessitar de algum apoio, Miguel Rosa afiançou que está atento a esta situação.

Avançou ainda que alguns operadores turísticos e económicos, que devido a esta situação foram apanhados de surpresa, fora da ilha, estão a manifestar as suas preocupações, nomeadamente pedindo informações juntos da edilidade.

WN/Fim

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos