Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19: Instituto brasileiro quer testar em humanos soro feito de plasma de cavalos

Brasília, 05 Mar (Inforpress) – O Instituto Butantan, vinculado ao Estado brasileiro de São Paulo, anunciou hoje que pediu autorização ao órgão regulador do Brasil para testar em pacientes infectados com covid-19 um soro feito a partir de plasma de cavalos.

O anúncio foi feito hoje pelo governador de São Paulo, João Doria, que acredita que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa, órgão regulador) irá dar o aval para início dos testes nas próximas semana.

“Não há razão para protelar a autorização para o início destes testes, já que todas as informações necessárias foram providas pelo Instituto à Anvisa. O soro desenvolvido pelo Butantan tem grande potencial para evitar o agravamento dos sintomas e curar os contaminados pela covid-19”, advogou o governador.

Segundo o executivo de São Paulo, três mil frascos de soro estão prontos para o início imediato dos testes em humanos e o objectivo da investigação é verificar a segurança e a eficácia do antídoto em pacientes infectados com o novo coronavírus.

“A equipa de investigadores do Butantan concluiu um teste de desafio, realizado em parceria com a Universidade de São Paulo, com ratos infectados pelo vírus vivo. Com o uso do soro, foi identificada diminuição da carga viral, além de perfil inflamatório reduzido, e os animais também apresentaram preservação da estrutura pulmonar”, salienta um comunicado do Governo de São Paulo.

O soro em causa é produzido a partir da inoculação do vírus inactivo em cavalos. O corpo dos animais reage ao microrganismo e produz anticorpos para combater a infecção. Depois, o sangue dos equídeos é recolhido e esses anticorpos são isolados para que possam ser usados contra a doença.

Após a eventual aprovação da Anvisa para o início dos testes em humanos, e caso apresente a eficácia esperada, o soro poderá ser usado para tratar pacientes infectados com sintomas, visando bloquear o avanço da covid-19.

A possibilidade utilização deste soro surge no momento mais crítico da pandemia no Brasil, que já acumula 10,8 milhões de diagnósticos de infecção (10.869.227) e 262.770 mortes devido à covid-19.

Já o estado de São Paulo, foco da pandemia no Brasil, anunciou hoje que irá abrir um hospital de campanha e convocar profissionais de saúde voluntários para atender pacientes infectados, numa “operação de guerra” contra a doença.

Para travar a pandemia, todos os municípios do estado entram à meia-noite de sábado na “fase vermelha” do plano de contenção da doença, em que apenas os serviços essenciais têm permissão para funcionar.
Cenário semelhante ocorre em outras regiões do país, devido a uma ruptura nas redes de saúde pública e privada e ao aumento da circulação de novas estirpes do novo coronavírus em todo o território.
A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.570.291 mortos no mundo, resultantes de mais de 115,5 milhões de casos de infecção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.
Inforpress/Lusa/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos