Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19: ICIEG e Polícia Nacional “sem tréguas” no combate à VBG durante o estado de emergência

Cidade da Praia, 20 Mai (Inforpress) – O Instituto Cabo-verdiano para a Igualdade e Equidade do Género (ICIEG) e Polícia Nacional estão em articulação para combater “sem tréguas” a violência baseada no género (VBG) durante a vigência do estado de emergência na ilha de Santiago.

A informação foi hoje avançada à Inforpress pela presidente do ICIEG, Rosana Almeida, para quem nesta terceira renovação do estado de emergência na ilha de Santiago “há um cansaço das pessoas”, pelo que esta fase poderá ser “um bocadinho” mais tensa e ser mais propícia para desentendimentos e problemas no lar.

“Temos estado a promover contactos permanentes com a Polícia Nacional. Na segunda-feira, 18, a PN disponibilizou-se para ir ao ICIEG apresentar números de casos que tem recebido. Creio que nós estamos a tempo de tentar perceber se há aumento ao não dos casos”, acrescentou.

Rosana Almeida informou ainda que o ICIEG tem seguido os números que dão entrada nos hospitais, mas, sobretudo, estado atento se está a haver uma “boa articulação” entre os hospitais, centros de Saúde e técnicos e a Polícia Nacional.

“Muitas vezes, as vítimas podem dar entrada directamente nos hospitais, mas se não forem encaminhadas para a polícia para fazer o seguimento, podem correr sérios riscos neste isolamento”, defendeu.

Rosana Almeida disse ainda que o Instituto Cabo-verdiano para a Igualdade e Equidade do Género tem conhecimento que deram entrada “alguns casos” nos hospitais e que por isso quiseram saber se esses casos tiveram seguimentos, se as vítimas vão precisar do acompanhamento psicológico, como é que está a articulação com o Ministério Público e também como está a celeridade dos processos.

Ainda na segunda-feira, informou a presidente do ICIEG, a instituição entregou um computador à PN, para que possam trabalhar melhor a introdução dos dados e fazer melhor a articulação.

“Com esta ferramenta, já não têm desculpas de que não têm mecanismos para a colheita como gostariam (…) Já tínhamos entregado uma viatura para transportar vítimas, porque não quisemos que estas sejam transportadas nas viaturas da polícia. Isso para menores pode causar traumas”, relatou.

Sem precisar números concretos, esses que, conforme disse, deverão ser divulgados ainda esta semana, Rosana Almeida afirma que “no geral” não se tem registado um aumento significativo da violência.

“Há casos que estão a acontecer, sim. Muitos estão a pedir atendimento psicológico, pedem também formas de acompanhar os familiares”, explicou esta responsável, adiantando que o ICIEG irá lançar, juntamente com a Inspecção-Geral do Trabalho (IGT), uma campanha para que as empregadas domésticas que não receberam os seus salários durante o estado de emergência possam apresentar queixa na IGT.

GSF/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos