Covid-19: Governo avisa que veículos que difundirem informações falsas podem ser responsabilizados judicialmente

Cidade da Praia, 22 Mar (Inforpress) – O Governo de Cabo Verde informou hoje, em comunicado, que os veículos de informação que publicarem informações não verdadeiras, neste momento de estado de contingência ou de outro que vier a ser declarado, podem ser responsabilizados judicialmente.

Na mesma nota enviada à redacção da Inforpress, o Governo começou por referir que todas as instâncias do Estado têm trabalhado com “total transparência” em relação aos eventos afectos à pandemia covid-19 e os seus efeitos em Cabo Verde.

“A informação é o pilar principal de uma estratégia de sucesso no combate a uma pandemia como o coronavírus. A desinformação, por outro lado, é extremamente prejudicial a todos e pode causar danos a toda a sociedade”, avisou.

O Governo frisou ainda que os órgãos de comunicação social, públicos e privados, são e têm sido “parceiros fundamentais” no combate ao covid-19.

A mesma fonte referiu que as comunicações fazem-se a nível político através do primeiro-ministro, Ulisses Correia, e outros membros do Governo, para o efeito indicados.

A nível técnico e operacional, as comunicações para os órgãos de comunicação social, fez saber a mesma fonte, são feitas pelo Gabinete de Comunicação e Imagem do Governo e do Ministério da Saúde e Segurança Social e também pela Direcção Nacional de Saúde, sobre assuntos relativos a casos de covid-19 e sobre a doença e a sua prevenção.

O Ministério da Administração Interna (MAI) e o Serviço Nacional de Protecção Civil (SNPC), disse a mesma fonte que farão comunicações sobre medidas e informações relacionadas com a protecção, a vigilância e o cumprimento das restrições impostas no quadro do estado de contingência ou de outro que vier a ser declarado.

Na mesma nota, o executivo chamou a atenção aos cidadãos em geral que as informações que não sejam confirmadas pelas entidades indicadas, relativas à pandemia do covid-19 em Cabo Verde, não devem ser tidas como verdadeiras e não merecem crédito;

A publicação de informações oriundas de ditas “fontes não oficiais” por parte dos veículos de comunicação, sem a devida confirmação com as entidades competentes, alertou, “é uma prática danosa à sociedade, pois pode causar confusão e pânico num momento em que é preciso que a população aja com calma e serenidade”.

GSF/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos