Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19: França acaba com máscara no exterior e com recolher obrigatório

Paris, 16 Jun (Inforpress) – O uso de máscara no exterior deixa de ser obrigatório em França a partir de 17 de Junho e o recolher obrigatório às 23:00 acaba no dia 21 de Junho, anunciou hoje o primeiro-ministro francês, Jean Castex.

“O recolher obrigatório às 23:00, que se devia aplicar até dia 30 de Junho, deve acabar a partir deste domingo, seis dias antes da data prevista”, disse hoje o primeiro-ministro após o Conselho de Ministros que decorreu esta manhã.

As duas decisões vêm no seguimento de várias semanas consecutivas de decréscimo de novos casos e de casos graves de covid-19 nos hospitais franceses.

Nos últimos dias, várias festas selvagens após o recolher obrigatório levaram as autoridades a dispersar grupos de centenas de jovens nas grandes cidades.

“Vivemos um momento importante, um momento feliz, um momento de regresso à vida normal”, declarou Jean Castex.

A obrigação de utilização da máscara no exterior vai terminar já na quinta-feira, mas a máscara continua a ser obrigatória dentro de todos os espaços fechados.

O primeiro-ministro pediu ainda aos franceses que se vacinem, após as autoridades terem encurtado o período de espera entre a primeira e segunda dose da vacina para três semanas. Também os jovens entre 12 e 17 anos já se podem vacinar.

Morreram em França desde o início da pandemia 110.563 pessoas e foram detectados 5.744.589 casos.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.813.994 mortos no mundo, resultantes de mais de 176,1 milhões de casos de infecção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.047 pessoas dos 858.072 casos de infecção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detectado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Inforpress/Lusa

Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos