Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19/Fogo: Mais de uma centena de amostras encaminhada hoje para Laboratório de Virologia para testes PCR

São Filipe, 03 Set (Inforpress) – Mais de uma centena de amostras recolhidas dos contactos dos dois casos positivos de São Filipe e outros 45 dos Mosteiros notificados esta semana, foram hoje encaminhadas ao Laboratório de Virologia para realização de testes PCR.

O director do hospital regional São Francisco de Assis e da Região Sanitária, Evandro Monteiro, indicou que a partir da notificação, as estruturas de Saúde da ilha realizaram uma nova pesquisa dos contactos directos dos casos positivos, observando que a investigação é continuada.

Este indicou que foi realizado despiste e identificação de um grande número de pessoas, das quais a maioria são assintomáticas, para isolamento, referindo que perto de três centenas de testes PCR foram realizados com 102 casos positivos, mas ainda um número significativo de pessoas cujas amostras foram recolhidas continua no isolamento institucional ou domiciliário, aguardando as respostas, sendo que perto de 30 nos Mosteiros e uma dezena no município de São Filipe.

“Ainda há amostras pendentes e hoje vamos enviar mais um grupo dos contactos das pessoas com testes PCR positivos notificadas nos dois últimos dias”, afirmou.

Dos 102 casos positivos acumulados e um óbito, a nível da ilha há doentes de todas as faixas etárias, oscilando entre paciente com um ano, até uma pessoa de 98 anos de idade referiu Evandro Monteiro.

Segundo ele, no hospital existem duas alas, sendo uma para os casos confirmados, onde estão três pacientes, mas que do sexo feminino recebe alta ainda hoje e dois outros pacientes continuam internados, um de 67 anos e outro de mais de 70 anos, que estão estáveis, sendo que um, que entrou em estado crítico, terá alta dentro de três dias devido a sua recuperação.

A outra ala é destinada aos contactos directos e sintomáticos que aguardam pelos resultados dos testes PCR, estando neste momento no espaço duas pessoas, uma mulher e um homem.

Em relação ao centro de isolamento institucional, Evandro Monteiro indicou que funciona na Almada, acolhendo os casos assintomáticos ou sintomáticos leves sem critérios de isolamento domiciliar que respeitar algumas normas já definidas.

Evandro Monteiro que se deslocou hoje aos Mosteiros para articular com as autoridades locais, indicou que para optar para isolamento domiciliar há critérios relacionados com o próprio espaço físico, mas também a condição psicológica da pessoa, nomeadamente se tem capacidade de auto isolar-se em segurança.

O centro de isolamento institucional de Almada com capacidade, neste momento, para pouco mais de 30 câmaras, vai ser duplicada a sua capacidade para passar a dispor de 70 camas para isolamento institucional e mais 11 a 15 camas a nível do hospital para doentes com sintomatologia, referiu o responsável indicando que a realização de testes PCR vai ajudar a controlar a situação e dar alguma garantia a este processo.

Quanto a possibilidade de instalação do laboratório de virologia nos Mosteiros por ser o município mais afectado neste momento, Evandro Monteiro indicou que, tecnicamente, não é possível, lembrando que há que actuar e pautar numa resposta concentrada.

“Nesta fase não podemos pensar em dispersar recursos, técnicos e conhecimento científico que é adquirida com trabalho continuado e pensar em ter vários centros poderá trazer dificuldades”, defendeu Evandro Monteiro, lembrando que para além de recursos humanos, a descentralização implica recursos materiais, técnicos, espaço físico com critério de segurança e pessoas formadas em biossegurança.

A nível do hospital, indicou que foi reforçado com quatro enfermeiro e tem indicação para contratar mais quatro assistentes de serviços gerais, parte dos equipamentos já chegaram e começam a ser utilizados.
Em relação aos Mosteiros, ainda hoje será elaborada uma lista das necessidades para ser enviada ao Ministério da Saúde, sobretudo de recursos humanos para ajudar no processo de investigação.

O presidente da câmara de São Filipe, Jorge Nogueira, mostra-se preocupado com o estado actual na ilha e as medidas estão a ser reforçadas, nomeadamente o condicionamento de alguns licenciamentos para actividades nocturnas, colocação de dispositivos de higienização nos espaços públicos municipais, redução das audiências e funcionamento a tempo inteiro do corpo de bombeiros, para evitar a propagação do vírus.

Nogueira indicou que algumas propostas foram enviadas ao Governo que estão sendo respondidas para ajudar na fiscalização e sensibilização, sobretudo nas principais localidades onde há maior número de casos, mas também no envio de equipamentos para o hospital para realizar testes PCR.

Segundo o mesmo, as respostas do Governo estão sendo céleres, nomeadamente a massificação dos testes rápidos, os equipamentos a chegar, contingente militar que deverá chegar na sexta-feira, sublinhando que “são respostas possíveis e que esta questão nunca pode ser politizada da forma como querem fazê-la”.

Este admitiu a existência de alguma indisciplina motivada pela ideia que muitos queriam passar de que o Fogo nunca seria atingido pelo vírus e por isso houve algum relaxamento e conformismo das pessoas.

JR/DR
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos